VALORES NUTRICIONAIS E QUALITATIVOS DE CARNES BOVINAS (LONGISSIMUS THORACIS) PROVENIENTES DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO ORGÂNICA E CONVENCIONAL

Ana Paula Costa Rodrigues Ferraz, Jessica Moraes Malheiros, Renata Maria Galvão de Campos Cintra, Luis Artur Loyola Chardulo

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da produção de animais sob o sistema de manejo orgânico e convencional em relação à qualidade da carne de bovinos machos Nelore (Bos indicus). Foram utilizados oito animais provenientes do sistema de produção orgânica e 15 animais produzidos sob o sistema convencional terminados em confinamento por 90 dias. Após o abate, as carcaças foram resfriadas no período de 24 a 48 horas, e duas amostras do músculo Longissimus thoracis foram coletadas com aproximadamente 2,54 cm de espessura entre a 12a-13a costelas da meia carcaça esquerda de cada bovino. Foram avaliadas características químicas, como lipídeos totais (LT) e índice de fragmentação miofibrilar (MFI). De modo suplementar, avaliaram-se características como força de cisalhamento (FC), área de olho de lombo (AOL), índice de marmorização (IM), espessura de gordura subcutânea (EGS), composição centesimal, perdas totais (PT) e coloração instrumental. Constatou-se que as amostras de procedência orgânica apresentaram melhores características de coloração instrumental, considerada o principal atrativo no momento da compra. O valor médio de força de cisalhamento foi menor para a carne orgânica, sendo positivamente relacionado com a maciez. Diferenças significativas entre os dois grupos também podem ser observadas nas análises de lipídeos totais, espessura de gordura e teor de umidade, que apresentaram valores superiores em relação aos animais terminados em confinamento.

DOI: http://dx.doi.org/10.12957/demetra.2015.14293

 


Palavras-chave


Espessura de gordura, Maciez, Qualidade da carne, Umidade da carne

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2015.14293