migrant children from african countries in são paulo’s early education system: between sheltering and exclusion

flavio santiago

Abstract


African migrants in Brazil suffer the perverse effects of xenophobia, in addition to experiencing racist behaviors. These processes also manifest themselves within the context of kindergarten centers and pre-schools, directly influencing the pedagogical approach, as well as the perceptions and conceptions surrounding being a black African person. In this context, this article aims to present the perception of early education teachers in the city of São Paulo about racialization processes in the sheltering and insertion of black African children of ages between 0 and 5. In order to achieve the aim of this research, interviews were held with early education professionals from both the direct and indirect educational systems, so as to try and comprehend how these agents perceive the sheltering/insertion of migrant black African children. The analysis was made based on theoretical frameworks regarding childhood sociology, studies on migration and race relations. This work intends to enlarge the childhood and migration research fields, as well as research on the processes of racialization of African migrant children aged less than seven. 


Keywords


transnational migration; race relations; immigrant small children; early education.

References


Achebe, Chinua. A educação de uma criança sob o protetorado britânico. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

Alexandre, Ivone J.; Abramowicz, Anete. Relações raciais: o olhar dos professores sobre as crianças migrantes haitianas nas escolas de Sinop no Mato Grosso. Crítica Educativa, 5(1), 31–44. 2019. Disponível em: https://www.criticaeducativa.ufscar.br/index.php/criticaeducativa/article/view/433. Acesso em: 23/05/2022.

AliettI, Alfredo & Padovan, Dario. Sociologia del razzismo. Roma: Caocci Editore, 2000.

Almeida, Silvio Luiz de. O que é racismo estrutural? Belo Horizonte: Letramento, 2019.

Appiah, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

Bano, Issaka Mainassara. Por uma construção cultural: crianças e adolescentes refugiados africanos em São Paulo. 2019. 102 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Unicamp, Campinas, 2019.

Bastide, Roger; Fernandes, Florestan. Brancos e negros em São Paulo: ensaio sociológico sobre aspectos da formação, manifestações atuais do preconceito de cor na sociedade paulistana. 4. ed. São Paulo: Global, 2008.

Bolognesi, Ivana; Di Rienzo, Adriana; Pileri, Anna. Il bambini. In: Bolognesi, Ivana; Di Rienzo, Adriana; Lorenzini, Stefania; Pileri, Anna. Di Cultura in culture: esperienze e percorsi intercultural nei nido d’infanzia. Milano: FrancoAngelo, 2006. p. 100-146.

Brasil. Ministério da Educação. Parecer CNE/CEB n. 20/2009, de 11 de novembro de 2009. Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. CNE/CEB.2009. Disponível em: http://epsinfo.com.br/DCNEI_Rev.pdf. Acesso em: 22 de maio de 2022

Curcio, Anna; Mellino, Miguel. Rileggere il razzismo, ripensare l’antirazzismo in Itália. In: Curcio, Anna; Mellino, Miguel (org.). La Razza al Lavoro. Roma: Manifesto libri, 2012. p. 07- 36.

Da Matta, Roberto. “O Ofício do Etnólogo ou como ter ‘Anthropological Blues’”. In: Nunes, Edson de Oliveira (org.). In: A aventura sociológica: Objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar, 1978, pp. 23-35.

Demartini, Z. B. F. Imigração e educação: discutindo algumas pistas de pesquisa. Pro-Posições, 15(3), 215-228, 2004.

Dias, Guilherme Soares. No centro de São Paulo surge uma pequena África. Carta Capital, 25 jan. 2019. Online. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/blogs/guia-negro/no-centro-de-sao-paulo-surge-uma-pequena-africa/. Acesso em: 07 maio 2022.

Elhajji, Mohammed. Migrantes, uma minoria transacional em busca de cidadania universal. Interin (UTP), v. 22, p. 203, 2017.

Essomba, Miquel Àngel. Dossiê Migrações Internacionais e Infâncias. La voz de la infancia de familia inmigrada: identidad y participación en contextos de supervivencia. Zero-a-seis ‒ Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, ano 2021, v. 23, n. 43, p. 759-781, jan/jun. 2021. ISSN 1980-4512.

Farah, Paulo D. Combates à xenofobia, ao racismo e à intolerância. Revista USP, n. 114, p. 11-30, 16 set. 2017.

Faustino, Deivison Mendes; oliveira, Leila Maria de. Xeno-racismo ou xenofobia racializada? Problematizando a hospitalidade seletiva aos estrangeiros no Brasil. REMHU: Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, v. 29, n. 63, 2021.

Fonseca, Dagoberto J. A história, o africano e o afro-brasileiro. Cadernos de Formação - Pedagogia Cidadã, UNESP-PROGRAD, v. 1, n. 1, p. 57-68, 2004.

Fonseca, Dagoberto J. De migração em migração se constrói impérios, reinos e cidades: o africano no contexto da globalização. In: Fonseca, Dagoberto José; Malomalo, Bas’IlelE; Badi, Mbuyi Kabunda (org.). Diáspora africana e migração na era da globalização: experiências de refúgio, estudo, trabalho. Curitiba: CRV, 2015. p. 17-34. v. 1.

Foucault, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

Freitas, Marcos Cezar de; Silva, Ana Paula. Crianças bolivianas na educação infantil de São Paulo: adaptação, vulnerabilidades e tensões. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 45, n. 157, p. 680-702, jul./set. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/198053143246.

Grappi, Giorgio. Luogo la linea del lavoro: migranti e razzismo instituzionale. In: Curcio, Anna; Mellino, Miguel (org.). La razza al lavoro. Roma: Manifestolibri, 2012. p. 47-62.

Gusmão, Neusa Maria Mendes de. Linguagem, cultura e alteridade: imagens do outro. Cadernos de Pesquisa, n. 107, p. 46-78, jul. 1999.

Gusmão, Neusa Maria Mendes de. A Noção de Cultura e seus desafios. Disponível em: http://www2.fe.usp.br/~etnomat/site-antigo/anais/NeusaMariaMendesdeGusmao.html. Acesso em: 13 set. 2021.

Haddad, Naief. Africanos contam vida em São Paulo, onde ampliam mosaico da imigração. Folha de São Paulo, São Paulo, 8 set. 2019. Online. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2019/09/africanos-contam-vida-em-sao-paulo-onde-ampliam-mosaico-da-imigracao.shtml. Acesso em: 7 maio 2022.

Kilomba, Grada. Memórias da Plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogá, 2019.

Lorenzini, Stefania. La cura: le attività e lo stile educativo. In: Bolognesi, Ivana; Di Rienzo, Adriana; Lorenzini, Stefania; Pileri, Anna. Di Cultura in culture: esperienze e percorsi intercultural nei nido d’infanzia. Milano: FrancoAngelo, 2006. p. 100-146.

Ludke, Menga; André, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1986.

Mattos, Alice Lopes. Racismo e xenofobia no Brasil: análise dos intrumentos jurídicos de proteção ao imigrante negro. 2016. Monografia (Graduação em Direito) ‒ Universidade Federal de Santa Maria, 2016.

Mbembe, Achille. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona, 2014.

Mbembe, Achille. Necropolítica. São Paulo: N-1 edições, 2017.

Mbembe, Achille. Necropolítica. São Paulo: N-1 edições, 2018.

Mellino, Miguel. La critica postcoloniale: descolonizzazione, capitalismo e cosmopolitismo nei postcolonial studies. Roma: Meltemi, 2017.

Oliveira, Roberto Cardoso de. “Olhar, ouvir, escrever”. In: O trabalho do antropólogo. São Paulo: Editora Unesp, 1998.

Pavez-Soto, Iskra.; Ortiz-López, Juan Eduardo; Sepolveda, Natalia; Jara, Priscilla; Olguín, Constanza. Racialización de la niñez migrante haitiana en escuelas de Chile. Revista Interciencia, Santiago, Chile, v. 44, n. 7, p. 414-420, jul. 2019.

Poletti, Fulvio. L’educazione interculturale. San Giustino: La nuova Italia, 1992.

Russo, Kelly; Mendes, Leila; borri-Anadon, Corina. Crianças em situação de imigração na escola pública: percepções de docentes. Cadernos de Pesquisa, v. 50, n. 175, pp. 256-272, jan./mar. 2020. ISSN 1980-5314. Online. Disponível em: https://doi.org/10.1590/198053146943. Acesso em: 1 maio 2022.

Santiago, Flávio. Eu quero ser o Sol: crianças pequenininhas, culturas infantis, creche e intersecção. São Carlos: Pedro & João Editores, 2020.

Santiago, Flavio; Faria, Ana Lúcia Goulart de. Feminismo negro e pensamento interseccional: contribuições para as pesquisas das culturas infantis. Educação & Sociedade [online]. 2021, v. 42 [Acessado 21 julho 2022], e239933. Disponível em: . Epub 05 Mar 2021.

Sato, Miki Takao. Vida cultural, econômica e cotidiano de mulheres africanas em São Paulo: contribuições para a terapia ocupacional. 2017. 160 f. Dissertação (Mestrado em Terapia Ocupacional) ‒ Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017.

Silva, Ana Paula. ¡No hablamos español! Crianças bolivianas na educação infantil paulistana. Saarbrucken, Alemanha: Novas Edições Acadêmicas, 2016. E-book.

Staccioli, Gianfranco. Diário do acolhimento na escola da infância. Campinas: Autores Associados, 2013.

Vargem, Alex André; Malomalo, Bas’llele. A imigração Africana contemporânea para o Brasil: entre a violência e o desrespeito aos direitos humanos. In: Malomalo, Bas’llele; Fonseca, Dagoberto José; Badi, Mbuyi Kabunda. Diáspora Africana e migração na era da globalização: experiências de refúgio, estudo, trabalho. Curitiba: Editora CRV, 2015. p. 107-128.

Zeleza, Paul Tiyambe. Diásporas Africanas: Para uma História Global. Contemporânea, São Carlos ‒ Ufscar, v. 10, n. 3, pp. 903-925, set. 2020. Disponível em: https://orcid.org/0000-0002-0737-1862 Acesso em: 2 maio 2020.




DOI: https://doi.org/10.12957/childphilo.2022.66911

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


childhood & philosophy Creative Commons License
e-issn 1984-5987 | p-issn 2525-5061