Coreografar a paisagem: a multidimensionalidade requerida pelas cartografias contemporâneas

Daniele Caron, Paulo Roberto Carvalho, Gianluca Perseu

Resumo


A racionalidade do discurso urbanístico anula a dimensão narrativa da experiência vivida, distanciando a cartografia das práticas socioculturais no território que constituem o fenômeno da paisagem. O objetivo do texto é discutir as relações entre paisagem, narrativa e cartografia, através da descrição de uma metodologia que articula relatos etnográficos e o processo de cartografar. O resultado é a coreografia da paisagem, um agenciamento entre a experiência narrada e os grafismos do território. 


Palavras-chave


paisagem, narrativa, cartografia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/arcosdesign.2018.44061

Apontamentos

  • Não há apontamentos.