O TEMPO DA CULTURA E AS PERMANÊNCIAS INDIVIDUAIS E COMUNITÁRIAS EM CONTEXTOS DA AMAZÔNIA SUL OCIDENTAL.

Luciana Eliza dos Santos, Beatriz Magalhães de Castro, Alexandre Anselmo dos Santos

Resumo


O presente texto parte do olhar histórico para estabelecer comparativos e evocar a existência e permanência de práticas culturais de linguagem híbridas, presentes em regiões correspondentes à Amazônia sul ocidental, centralizando-se especificamente no Estado do Acre e nas fronteiras com países vizinhos como Bolívia e Peru. Estabelece uma breve reflexão acerca de bases para a história em perspectiva comparada e conectada como caminhos para reacomodar lacunas e apagamentos históricos. Aborda práticas culturais como os reisados do Japinin e o Boi Bumbá / Boi Carión, em consonância ao contexto rítmico e multicultural que envolve a configuração destas manifestações, historicamente presentes nas regiões mencionadas, para além das fronteiras imaginadas e constituídas nos percursos das comunidades.

Palavras-chave


História Comparada; Práticas Culturais; Resistência Cultural; Amazônia.

Texto completo:

PDF

Referências


BLOCH, Marc. “Pour une Historie Comparée des societés européennes”. In: Mélanges historiques. vol. 1, Paris: S.E.V.P.E.N., 1963. pp. 16-40.

DETIENNNE, M. Construir comparáveis. In: _____. Comparar o incomparável. São Paulo: Idéias e Letras, 2004, p. 45-68.

EAGLETON, Terry. A ideia de Cultura. São Paulo: Ed. Unesp, 2005.

ESPAGNE, Michel. “Sur les limites du comparatisme en histoire culturelle”. Genèses, no.17, setembro de 1994.

IGLESIAS, M. P. Os Kaxinawá de Felizardo: correrias, trabalho e civilização no Alto Juruá. ABA: Rio de Janeiro, 2010.

IGLESIAS, Marcelo Piedrafita; TEIXEIRA, Gleyson de Araújo (org.). Índios do Acre: Comissão Pró Índio do Acre, 2003.

GLEZER, Raquel. O tempo na História. IEA/USP. Estudos Avançados. 1991.

GRUZINSKI, Serge. Os mundos misturados da monarquia católica e outras connected histories. Topoi, Rio de Janeiro, mar. 2001, p. 175-195 (http://www.revistatopoi.org/numeros_anteriores/Topoi02/topoi2a7.pdf)

HAUPT, Heinz-Gerhard. Comparative history – a contested method. Building on the past On line papers. Acesso em 29/06/2022.

http://virgo.unive.it/eurodoct/documenti/Haupt_Comparative_history.pdf

MARTINI, Andréa. 2019. Tecendo Limites no Alto Rio Juruá. Curitiba: Brazil Publishing.

MAPAYA, Madimabe Geoff. Ndwamato MUGOVHANI, George. Musicologia comum Africana: uma epistemologia musical de perspectiva Africana. Dossiê Matizes Africanos na Música Brasileira. 2021.

MOREIRA, Paulo; MACRAE, Edward. Eu venho de longe: Mestre Irineu e seus companheiros. Salvador: EDUFBA, 2011.

PANTOJA, M. C. Os Milton: cem anos de história familiar nos seringais. EDUFAC: Rio Branco, 2008.

PRADO, Maria Ligia Coelho. América Latina no Século XIX. EDUSP: São Paulo, 2004.

ROSA, S.A Bibiana Soyaux de Almeida. A selva invade Lima: representações amazônicas na capital. RELACult – Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade Revista Latinoamericana de Estudios en Cultura y Sociedad | Latin American Journal of Studies in Culture and Society V. 03, ed. especial, dez., 2017, artigo no 603

SANTOS, Boaventura de Sousa. (2009) Epistemologias do Sul. Biblioteca Nacional de Portugal. Edições Almedina




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2022.68798

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos