Estética animista: memória e (re)existência na narrativa de Ungulani Ba Ka Khosa

Salomão António Massingue, Salomão António Massingue, José José Fornos

Resumo


O artigo analisa as manifestações da estética animista na sua intercessão com a memória oral como prática de (re)existência na narrativa de Ungulani Ba Ka Khosa. A década 50 do século XX é um importante marco na produção literária em países africanos de língua portuguesa. Escritores assumem o protagonismo na reinvenção das suas sociedades, historicamente subjugadas pelo sistema colonial, num processo pautado pelo questionamento dos cânones literários ocidentais, e pela (re) busca de um passado cultural ancestral e sua incorporação na literatura. Contudo, ainda se reduzia essa produção a categorias desfasadas do conteúdo narrado. A estética animista irrompe como um paradigma de análise mais consentâneo com os universos simbólico e cultural representados nessa produção, concretamente na narrativa. É nessa corrente em que se insere este estudo para a fundamentação do qual se baseou, fundamentalmente, em Garuba, 2003, 2012.

 


Palavras-chave


Estética animista; memória; (re)existência

Texto completo:

PDF

Referências


KHOSA, U. BA KA. Ualalapi As mulheres do Imperador. São Paulo: Kapulana, 2018.

______________________. Choriro. 1.ed. Maputo: Alcance editores, 2009.

______________________. Orgia dos Loucos. 1.ed. Maputo: Alcance editores, 2008.

BARTHES, R. O que é escritura? In: O grau zero da escritura. São Paulo: Cutrix, 1971.

CEIA, C (Ed.). E-Dicionário de Termos Literários de Carlos Ceia. Lisboa, 2020. Disponível em , consultado em 17-06-2020

DO ROSÁRIO, L. Moçambique história, culturas, sociedade e literatura. Belo horizonte: Nandyala, 2010.

DURKHEIM, É. As Formas Elementares da Vida Religiosa. Tradução de Paulo Neves. Ed.1., São Paulo: Martins Fontes, 2003.

ESTEVES, A. O Realismo Mágico e Realismo Maravilhoso. in: FIGUEIREDO, E.(Org.) Conceitos de Literatura e Cultura. Belo Horizonte: EdUFF, 2005. P.393 – 413.

GARUBA, H. On Animism, Modernity / Colonialism and the African Order of Knowledge: Provisional Reflections. In: e-flux journal Cabo, 2012.

___________.Explorations in Animist Materialism: Notes on Reading/Writing African Literature, Culture and Society. In: Public Culture 15, n. 2, 2003, pp. 261-285.

GAMA-KHALIL, M. M. A literatura fantástica: género ou modo? In: terra roxa e outras terras: revista de Estudos Literários. Londrina, Vol.26, 2012, pp.19-31

GARCÍA, F.; REGINA, M.; PINTO, M. D. (orgs.) Poéticas do Insólito. In: Seminário Permanente de Estudos Literários da UERJ, Rio de Janeiro: Publicações Dialogarts, 2008.

LEITE, A. M. Oralidades & Escritas nas Literaturas Africanas. Lisboa: Edições Colibri, 1998.

MATUSSE, G. A Construção da Imagem de Moçambicanidade em José Craveirinha, Mia Couto e Ungulani Ba Ka Khosa. Maputo: Livraria Universitária, 1998.

NOA, F. A Dimensão Escatológica da Actual Ficção Moçambicana: Mia Couto e Ungulani Ba Ka Khosa. In: Nós, Revista da Lusofonia, nºs 35-40, Braga, 1994.

PARADISO, S. R. Religiosidade na Literatura Africana: a estética do realismo animista. Londrina, Revista Estação Literária, 2015. Vol. 13, p.268-281.

PEPETELA. Lueji, O nascimento de um império. São Paulo: Leya, 2015.

DE WITTE, M. Missão Midiática Afrikania: representando a “Religião Tradicional Afrikana” na esfera pública cristão em Gana. In: Revista Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, 2014, p161-183.

TEMPELS, P. A Filosofia Bantu, Tradução de G. Leghissa e T. Silla, Milano, 2005.

THIONG'O, N. W. Decolonizing the Mind: the politics of language in African literature. London: James Currey, 1986.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2021.58454

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos