VOZES SEM FRONTEIRAS: MANIFESTAÇÕES (DES)AUTORIZADAS DOS SUJEITO LOUCO E LIVRE

Diana Gonzaga Pereira

Resumo


 

Resumo: O processo de descolonização das colônias africanas de domínio português gerou incontáveis consequências, nas esferas social, econômica, política, entre tantas outras. Neste sentido, a necessidade de construção e de afirmação da identidade dos sujeitos desse contexto se torna rica matéria de estudo. Sendo assim, o que se delineia nesta análise é a observação desses sujeitos, no cenário angolano, bem como o surgimento de vozes que buscam dizer o “não-dito” e denunciar as mazelas pelas quais passa a nova sociedade independente. São, portanto, esses discursos – comumente, desautorizados e, curiosamente, livres – proferidos por sujeitos à margem, o nosso principal objeto, a saber: os mais-velhos, as crianças e o louco.

 


Palavras-chave


Discurso; Literatura; Loucura; Angola.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Fernando Costa. “Motivo”. In: Poesia com armas. Lisboa: Sá da Costa, 1975.

ANDRADE, Maria Vanesse; et al. A razão e a loucura na literatura: um estudo sobre o alienista, de Machado de Assis. Rev. Psicol. Saúde vol.6 no.1. Campo Grande: jun. 2014 – Versão online.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Tradução: Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

CRAVEIRINHA, José. “Grito Negro”. In: Xigubo (o grito da guerra). Edições 70, 1980.

ESPÍRITO SANTO, Alda. In: SANTILLI, Maria Aparecida. Literaturas de Língua Portuguesa: marcos e marcas – Cabo Verde: Ilhas do Atlântico em prosa e verso. São Paulo: Arte e Ciência, 2007.

FRANCO, Roberta Guimarães. Descortinando a inocência: infância e violência em três obras da literatura angolana. Niterói: Eduff, 2016.

FULY, M. A. O ser no espaço e o espaço no ser. In: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LITERATURA COMPARADA. 2017. UERJ. Anais... Anais eletrônicos do XV Congresso Internacional da ABRALIC, 2017. p. 2048.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução: Laurent Léon Schaffer. São Paulo: Revista dos tribunais LTDA, 1990.

HOBSBAWN, Eric. Era dos Extremos: O breve século XX – 1914-1991. Tradução: Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MATA, Inocência. “A condição pós-colonial das literaturas africanas de língua portuguesa: algumas diferenças e convergências e muitos lugares-comuns”. In: LEÃO, Angela (org.). Contatos e Ressonâncias – Literaturas africanas de língua portuguesa. Belo Horizonte: Editora PUC-Minas, 2003.p. 43-72.

ONDJAKI. A bicicleta que tinha bigodes. Rio de Janeiro: Pallas, 2012.

______. AvóDezanove e o Segredo do Soviético. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

RUI, Manoel: Eu e o outro – o invasor ou em poucas três linhas uma maneira de pensar o texto. Comunicação apresentada no Encontro Perfil da Literatura Negra. São Paulo, Brasil, 23/05/1985.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2021.58450

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos