GÊNERO E OS FEMINISMO (s) AFRICANO (s)

Dayane Augusta Santos da Silva

Resumo


Este artigo realiza discussão teórica-conceitual acerca as articulações das categorias mulher-gênero-feminismos. Parto prioritariamente dos estudos de intelectuais africanas inseridas no campo dos estudos de gênero no continente africano. Utilizo o termo “feminismos africanos” para referir-me a material bibliográfico produzido por feministas negras africanas, acadêmicas negras africanas e ativistas que, independentemente do seu país de origem, no continente ou na Diáspora, refletem partindo do ponto de vista africano, como um “conhecimento endógeno”, embora reconhecendo a imensa heterogeneidade que opera dentro dos limites deste termo. As intelectuais africanas concentram-se na experiência das mulheres africanas e ressaltam as diferentes formas de opressão as quais estas mulheres estão sujeitas, sob outra ótica. O esforço aqui não é de categorizar ou classificar as obras das intelectuais, em alguns casos autodeclaradas feministas africanas, mas analisar algumas implicações teóricas que o uso do termo trás.


Palavras-chave


Mulher; Angola; Intelectuais africanas; Feminismos africanos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2021.58416

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos