Um conceito a construir: as forças produtivas no pensamento de Amílcar Cabral

Gustavo Koszeniewski Rolim, Vanito Ianium Vieira Cá

Resumo


Neste artigo procuramos refletir sobre a utilização por parte de Amílcar Cabral da categoria marxiana de “forças produtivas”, realizando um panorama sobre sua produção, desde a época de agrônomo até a de líder das lutas de libertação nacional de Guiné-Bissau e Cabo Verde. Procuramos ressaltar que o pensamento de Cabral possui como um de seus fundamentos esta categoria, sendo necessário considerá-la portanto, nas suas acepções marxistas gerais e na especificidade que tomou no pensamento do líder africano para uma real compreensão de sua teoria social, histórica e revolucionária.


Palavras-chave


História; África

Texto completo:

PDF

Referências


BIBLIOGRAFIA

OBRAS DE AMÍLCAR CABRAL:

CABRAL, Amílcar. Estudos Agrários de Amílcar Cabral. Lisboa-Bissau: Instituto de Investigação Científica Tropical e Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa, 1988.

________. Unidade e Luta (Obras escolhidas Vol.1). Praia: Fundação Amílcar Cabral, 2013.

________. Pensar para melhor agir. Intervenções no Seminário de Quadros, 1969. Praia: Fundação Amílcar Cabral, 2014.

BIBLIOGRAFIA GERAL:

ANDERSON, Kevin B. Marx nas Margens. São Paulo: Boitempo, 2019.

ANDRADE, Mário de. Amílcar Cabral: Essai de biographie politique. Paris: François Maspero, 1980.

BARBOSA, Muryatan. A razão africana. São Paulo: Todavia, 2020.

BENOT, Yves. Idéologies des indépendance africaines. Paris: Fraçois Maspero, 1972.

BLACKEY, Robert. Fanon and Cabral, a contrast in theories of revolution for Africa. In: The Journal of Modern African Studies, Vol. 12, No. 2, 1974, pp. 191-209.

CARDOSO, Ciro Flamarion. Ensaios Racionalistas. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1988.

CASTRO, Armando. O sistema colonial português em África. Lisboa: Editorial Caminho, 1978.

CHABAL, Patrick. “Cabral: Revolutionary Leadership and People’s War”, Cambridge University Press, Cambridge, 1983.

CHALIAND, Gerard. Armed Struggle in Africa – With the Guerrillas in Portuguese Guinea. Nova York: Monthly Review Press, 1969.

DAVIDSON, Basil. A libertação da Guiné: aspectos de uma revolução africana. Lisboa: Livraria Sá da Costa Editora. 1975.

DIAS, Luciana. Amílcar Cabral e o Marxismo: dos anos de Lisboa à liderança do movimento de libertação durante a Guerra Fria (1948-1973), dissertação de Mestrado em História de África, Lisboa, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, 2020.

HOBSBAWM, Eric. “Introduccion”. In: Formaciones econômicas precapistalistas. Cordoba: Cuadernos de Pasado y Presente, 1972.

LOPES, Carlos (org). Desafios contemporâneos da África: o legado de Amílcar Cabral, São Paulo: UNESP, 2011.

MANJI e FLETCHER (ed). Claim no easy victories – the legacy of Amilcar Cabral, Dacar: Council for the Development of Social Science Research in Africa (CODESRIA) e Daraja Press, 2013.

MARX & ENGELS. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2015.

________. O Manifesto Comunista. São Paulo: Boitempo, 2015b.

MATOS, Marcelo Badaró. A classe trabalhadora. São Paulo: Boitempo, 2019.

MCCULLOCH, Jock. In the twilight of the revolution: the political theory of Amilcar Cabral. Nova York: Routledge, 1983.

MENDY, Peter Karibe. Amilcar Cabral. Athens: Ohio University Press, 2019.

MUSTO, Marcelo. O Velho Marx. São Paulo: Boitempo, 2018.

NKRUMAH, K. A Luta de Classes em África. São Paulo: Nova Cultura, 2016.

NZONGOLA-NTALAJA. “Amilcar Cabral and the theory of the national liberation struggle”. Latin American Perspectives, v. 11, n. 2, p. 43-54, 1984.

________. Revolution and counter-revolution in Africa: essays in contemporary politics. Londres: Institute for African Alternatives, 1987.

RABAKA, Reiland. Africana Critical Theory – Reconstructing The Black Radical Tradition, From W. E. B. Du Bois and C. L. R. James to Frantz Fanon and Amilcar Cabral. Nova York: Lexington Books, 2010.

________. Concepts of Cabralism: Amilcar Cabral and Africana Critical Theory. Londres: Lexington Books, 2014.

ROLIM, Gustavo Koszenieswki. “Revolução e Cultura no pensamento de Frantz Fanon e Amílcar Cabral”. In: MACEDO, José Rivair (org). Pensamento Africano no Século XX. São Paulo: Expressão Popular, 2016.

LOSURDO, Domenico. A Luta de Classes – uma história política e filosófica. São Paulo: Boitempo, 2015.

SOUSA, Julião Soares. Amílcar Cabral (1924-1973) Vida e morte de um revolucionário africano. Edição de Autor: Coimbra, 2016.

VILLEN, Patrícia. Amílcar Cabral e a crítica ao colonialismo. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

WALLERSTEIN, Immanuel. “The Lessons of the PAIGC,” Africa Today, vol. 18, no. 3, pp. 62-68, 1971.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2021.57068

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos