SUICÍDIO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SOB A PERSPECTIVA DE GÊNERO

Karina Cardoso Meira, Jordana Cristina de Jesus, Weverton Thiago da Silva Rodrigues, Eder Samuel Oliveira Dantas

Resumo


Em contextos de crise, os fatores de risco para o suicídio são exacerbados na população, entre eles, o aumento nas dificuldades para atender aos papéis tradicionais de gênero. O objetivo do estudo é avaliar a tendência de suicídios no Rio Grande do Norte (RN) entre 2011 e 2020, buscando dialogar com a perspectiva de gênero bem como lançar luz sobre as possíveis implicações da pandemia de COVID-19 para os suicídios no estado. Os dados utilizados são do Observatório da Violência da UFRN (OBVIO). A tendência temporal foi avaliada com modelos de regressão binomial negativa. Observou-se tendência ascendente para ambos os sexos, com maior crescimento para as mulheres (RR homens=1,05, p=0001; RR mulheres RR=1,07, p=0001). As maiores taxas de mortalidade por suicídio ocorreram em 2020 (homens=13,17 por 100 mil; mulheres = 3,29 por 100 mil), evidenciando os efeitos da pandemia da COVID-19 e da crise socioeconômica associada.

 

 

 


Palavras-chave


suicídio; gênero; estudos ecológicos; pandemia; infecção pelo Coronavírus.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/synthesis.2022.69291

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1414-915X (versão impressa)
ISSN 2358-4130 (versão digital)