IMPLANTAÇÃO DA VIGILÂNCIA SOCIOASSISTENCIAL NO MUNICÍPIO DE RESENDE: FORTALECIMENTO DO DIAGNÓSTICO SOCIOTERRITORIAL

Maria Cecília Zikan, Leonardo Pereira Tavares, Catherine Neves Rocha e Silva

Resumo


O presente artigo tem como objetivo analisar o processo de implantação da Vigilância Socioassistencial no município de Resende. Esse processo iniciou-se a partir da criação participativa de um sistema de indicadores quantitativos e qualitativos territorializados sobre a população socialmente vulnerável, para orientar a atuação da política de assistência social e fortalecer o vínculo da equipe com a produção de informações e com o público-alvo. Antes da construção participativa de indicadores da vigilância, havia a coleta de dados dos equipamentos, mas o preenchimento dos dados, diante de relatos de funcionários, não era fidedigno. Os profissionais não tinham o conhecimento de sua importância, objetivos e resultados através de diagnósticos. Sendo assim, suas informações tornavam-se insuficientes. A implantação da Vigilância Socioassistencial no Município de Resende de forma participativa proporcionou o fortalecimento da equipe profissional, a realização do levantamento minucioso e fidedigno de informações e, por sua vez, potencializou a atuação da Assistência Social, adequando as necessidades e a oferta de serviços para populações vulneráveis em seus territórios.

Palavras-chave:


Palavras-chave


Vigilância socioassistencial; Implantação; Assistência Social; Diagnóstico socioterritorial

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/synthesis.2019.60411

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1414-915X (versão impressa)
ISSN 2358-4130 (versão digital)