DEIXAR VIVER, DEIXAR MORRER: BIOPODER E NECROPOLÍTICA EM TEMPOS DE PANDEMIA

Sara da Silva Freitas, Tábata Berg

Resumo


Este artigo propõe debater as crises de saúde pública, econômica e social, tendo como referencial teórico os filósofos Michel Foucault e Achille Mbembe através de seus conceitos de biopoder e necropolítica. Temos por objetivo rascunhar algumas possibilidades interpretativas refletindo a crise do coronavírus enquanto um constructo político-social que não apenas desnuda, mas radicaliza as facetas mais estruturais do exercício do poder de deixar viver e deixar morrer intrínseco ao sistema metabólico do capital e à sua forma neoliberal globalizada. 


Palavras-chave


Biopoder; Necropolítica; Sistema capitalista; Neoliberalismo; Pandemia Covid-19

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/synthesis.2019.58549

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1414-915X (versão impressa)
ISSN 2358-4130 (versão digital)