ARRANJOS DE AÇÃO COLETIVA EM COMUNIDADES PESQUEIRAS DE MUNICÍPIOS DA BACIA DE CAMPOS, NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Diego Carvalhar Belo

Resumo


Este artigo tem como objetivo investigar os dilemas da ação coletiva presentes em comunidades pesqueiras de sete municípios limítrofes à Bacia de Campos, como forma de identificar os elementos de inibição da ação comunitária e a natureza dos laços sociais formados entre os pescadores artesanais. O estudo utilizou uma metodologia quali-quanti com a análise de dados extraídos de uma pesquisa quantitativa e de dados obtidos em grupos focais, ambos realizados pelo Projeto de Educação Ambiental Pescarte. Segundo a análise dos dados, as comunidades pesqueiras estudadas apresentam dilemas cooperativos que se assemelham a um comportamento familista, com ausência de solidariedade de tipo cívico e prevalência de empreendimentos coletivos restrita à esfera das relações de sociabilidade primária, em razão das dificuldades objetivas de engajamento cívico, decorrentes das precariedades materiais que estão na base de uma decisão racional que corresponde à dedicação exclusiva dos interesses privados.


Palavras-chave


Ação coletiva; Cooperação; Pesca Artesanal; Bacia Sedimentar de Campos; Pescarte

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/synthesis.2018.55908

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1414-915X (versão impressa)
ISSN 2358-4130 (versão digital)