INSEGURANÇA NA QUALIDADE GENÉTICA DE SEMENTES DE ALFACE PRODUZIDAS NA AMÉRICA DO NORTE E DO SUL

Danielle Helena Müller, Elisangela Clarete Camili, Mauro Mondin, Dryelle Sifuentes Pallaoro

Resumo


Objetivou-se comparar a similaridade qualitativa das características fenotípicas de plantas de alface cv. Marisa, desenvolvidas a partir de lotes de sementes produzidas nos Estados Unidos da América (EUA) e no Chile. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com dois tratamentos (lotes de sementes provenientes dos EUA – Lote 1 e Chile – Lote 2) e seis repetições, sendo cada unidade experimental constituída por uma parcela de 3,0 x 1,2 m (3,6 m²) e a área útil para avaliação composta de 10 plantas de alface, excluindo-se as primeiras e as últimas plantas de cada linha de cultivo.Avaliou-se nas mudas, 26 dias após a semeadura, o número de folhas; comprimento da maior raiz (cm); massa da matéria seca da parte aérea (MS aérea) e das raízes (MS raízes) (g). No ponto de colheita, antes do corte das plantas, avaliou-se o diâmetro e a altura (cm) e; após a colheita, avaliou-se a massa da matéria fresca total da parte aérea (g planta-1); a massa da matéria fresca comercial (g planta-1); o número de folhas comerciais, contando-se aquelas maiores que 3 cm de comprimento, iniciando-se pelas folhas basais até a última folha aberta; a massa da matéria fresca do caule (g) e; o comprimento do caule (cm), após a retirada das folhas. Verificou-se diferença nas características agronômicas avaliadas na fase de produção de mudas e no ponto de colheita, destacando-se aquelas provenientes de sementes dos EUA.

DOI: 10.12957/ric.2015.19093


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ric.2015.19093

Direitos autorais


 

ISSN: 2316-7041 | Indexada em:

 

Licença Creative Commons

A Revista Internacional de Ciências está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.