MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO EM PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS

Gilberto Fugimoto de Andrade, Gabriela Fernandez Sanchez, Josimar Ribeiro de Almeida

Resumo


Atualmente, o ordenamento jurídico brasileiro determina a realização de Projetos de Recuperação de Áreas Degradadas (PRADs) como exigência nos processos de compensação ou licenciamento ambiental de atividades econômicas degradantes do meio ambiente. O presente trabalho pretende abordar as etapas de Monitoramento e Avaliação, recursos gerenciais e estratégicos fundamentais para atestar o sucesso dos PRADs. Para tanto, são analisadas duas propostas de Monitoramento e Avaliação: (a) A Proposta SER (2004) que apresenta diretrizes universais de recuperação, 9 atributos de áreas restauradas e 3 estratégias de avaliação, embora não apresente indicadores RAD; e (b) A Proposta de Melo et al. (2010) que apresenta uma Matriz de Avaliação de Projetos de Restauração, com 7 indicadores RAD, organizados em 3 diferentes etapas da recomposição vegetal. Finalmente, sugere-se a incorporação das etapas de Monitoramento e Avaliação no planejamento de PRADs, como forma de contribuir para o aumento do conhecimento acerca dos processos de restauração.

 

DOI: http://dx.doi.org/10.12957/ric.2014.13833

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ric.2014.13833

Direitos autorais


 

ISSN: 2316-7041 | Indexada em:

 

Licença Creative Commons

A Revista Internacional de Ciências está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.