ENTRE O CRIME E A PANDEMIA: REFLEXÕES EM REPRESENTAÇÕES SOCIAIS

João Gilberto Silva Carvalho

Resumo


Resumo: O texto tinha por objetivo uma pesquisa e se tornou um ensaio. De início, o objetivo era dar continuidade à perspectiva de aproximação da teoria das representações sociais aos fenômenos do cotidiano em estudos pontuais ou preliminares. E o fio condutor escolhido foi um crime bastante noticiado nos meios de comunicação, sendo o ponto de partida, portanto, de uma análise preliminar sobre a representação social do crime hediondo. Assim, a partir de dados veiculados pelos meios eletrônicos de comunicação, em prazo curto e delimitado, foram extraídos elementos que apontassem a possibilidade de uma pesquisa sobre a representação social do crime hediondo. Ainda que em caráter inicial, as análises respaldaram a perspectiva de uma abordagem recortada e bem próxima ao calor dos acontecimentos. Entretanto, de forma fulminante e paradoxal, a pandemia provocada pelo novo coronavírus confirmaria de forma radical a tal hipótese de trabalho, alterando completamente o escopo original do texto: escrever sobre o crime hediondo tornou-se secundário em relação ao caos provocado pelo vírus. O presente ensaio, escrito durante o período crítico da pandemia, expressa essa trajetória.

Palavras-chave: Representações sociais. Crime hediondo. Cotidiano. Psicologia Social.

Abstract: The text was intended for research and became an experience report. At first, the objective was to continue the perspective of bringing the theory of social representations closer to everyday phenomena in specific or preliminary studies. And the chosen guideline was a crime that was widely reported in the media, being the starting point, therefore, of a preliminary analysis on the social representation of heinous crime. Thus, from data transmitted by electronic means of communication, in a short and limited period, elements were extracted that point to the possibility of research on the social representation of heinous crime. Although in an initial character, the analyzes supported the perspective of a cut approach and very close to the heat of events. However, in a fulminating and paradoxical way, the pandemic caused by the new coronavirus would radically confirm this working hypothesis, completely changing the original scope of the text: writing about the heinous crime has become secondary to the chaos caused by the virus. The present essay, written during the critical period of the pandemic, expresses this trajectory.

Keywords: Social representations. Heinous crime. Everyday life. Social psychology.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/polemica.2020.60210

e-ISSN1676-0727
DOI: 10.12957/polemica
E-mail: polemicauerj@gmail.com

Licença Creative Commons
Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional