DO ACOLHIMENTO À AUTONOMIZAÇÃO: O QUE DIZEM ADULTOS QUE VIVERAM INSTITUCIONALIZADOS. BREVES NOTAS METODOLÓGICAS

JOÃO PEDRO GASPAR

Resumo


O objetivo deste artigo é apresentar uma descrição da metodologia utilizada num estudo compreensivo das transições de adultos e jovens adultos que viveram um longo período de tempo em Lares de Infância e Juventude (LIJ) – casas de acolhimento para crianças e jovens em risco, de acordo com as suas perspectivas. Pretende-se ilustrar uma articulação de técnicas e procedimentos utilizados na análise dos desafios da autonomização de ex-institucionalizados e a sua integração em diferentes contextos de vida (social, profissional e familiar). No referido estudo, discute-se o levantamento da realidade do país – Portugal, comparativos internacionais e também a evolução da legislação a partir de uma perspectiva histórica. Conclui-se da importância da adaptabilidade do investigador, para compreensões tão vastas como aferir a relação entre o apoio e a formação proporcionada enquanto institucionalizados e a sua posterior integração na sociedade, através de descrições auto-biográficas.

Palavras-Chave: Crianças e Jovens acolhidos; Autonomização; Transições; Metodologias


Texto completo:

PDF HTML


DOI: https://doi.org/10.12957/polemica.2013.5271