Assim na terra como no céu: reconsiderações sobre a poesia pura e a “ausência de mundo” na poética de Cecília Meireles

Idmar Boaventura Moreira

Resumo


Cecília Meireles afirmara, certa vez, que seu maior defeito seria uma “certa ausência de mundo”. Alfredo Bosi vê essa ausência como virtude e a considera como chave para ler sua poesia. Mas a afirmação pode ser vista, também, como reveladora de um certo desconforto da poetisa, cuja obra equilibra-se na tensão entre comunicabilidade e incomunicabilidade, entre ausência e participação. O objetivo desse artigo é discutir o conceito de poésie pure e sua aplicação na lírica de Cecília Meireles, bem como a relação que a poesia ceciliana estabelece com o mundo e os acontecimentos à sua volta.


Palavras-chave


Cecília Meireles; poesia pura; ausência de mundo; lírica e sociedade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2021.56678

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Idmar Boaventura Moreira

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.