O “mito indígena” da formação social da Amazônia no conto “O rebelde”, de Inglês de Sousa

Alef Monteiro

Resumo


No artigo analiso o conto “O rebelde”, de Inglês de Sousa. Meu objetivo é identificar e descrever as representações acerca da formação social da Amazônia contidas na obra, com atenção ao “mito indígena”. A metodologia utilizada foi a análise dialética do texto literário, conforme propõe George Lukács, e os dados foram analisados sob uma perspectiva pós-colonial. Concluí que no conto não há diferença substancial entre indígenas e caboclos, estes nada mais são do que indígenas destribalizados e ambos formariam a maior parte da população amazônica. No conto, Inglês de Sousa não rompe com as representações do imaginário romântico acerca do indígena e da Amazônia, mas apenas as reforça com uma linguagem histórica e cientificista típica do Naturalismo. “O rebelde” é fundamentado no / e fundamenta o “mito indígena”.


Palavras-chave


“Mito indígena”; Amazônia; Inglês de Sousa; Teoria da Literatura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2021.54234

Apontamentos



Direitos autorais 2021 Alef Monteiro

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.