A relação entre história, ficção e função poética na obra Perfume de Resedá, de Paulo José Cunha

David Araújo de Carvalho, Francisco Armando de Sousa Oliveira

Resumo


Neste trabalho, pretende-se realizar uma análise entre a distinção história e ficção na obra Perfume de Resedá, de Paulo José Cunha.  Distinguir história e ficção é uma atividade posta em conflito na produção literária. Visto que a obra literária não retrata o real, o fato, por meio de uma visão mais positivista de história acabada, mas uma possibilidade, uma representação dos sujeitos, espaços e tempos. Realizar-se-á um breve estudo acerca da função da poesia e do poeta na sociedade moderna, sendo este o segundo objetivo do artigo. Por meio disso, abordar-se-ão autores como Freitas (1986), Chaves (1991), Moisés (2007), dentre outros.


Palavras-chave


História. Ficção. Função Poética

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2020.47159

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 David Araújo de Carvalho

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.