A complexidade de Hanna em uma menina está perdida no seu século à procura do pai, de Gonçalo M. Tavares

Letícia Carvalho de Quadros

Resumo


O presente artigo possui como objetivo

analisar a complexidade que envolve a

personagem Hanna, uma das

protagonistas do romance Uma menina

está perdida no seu século à procura de

seu pai, de Gonçalo M. Tavares. Cada

personagem de uma obra apresenta-nos

uma complexidade a ser desvendada.

Hanna ultrapassa esse nível médio, visto

que possui Síndrome de Down, e na maior

parte do romance comunica-se apenas

com movimentos da cabeça, concordando

ou negando. Analisaremos, dessa forma,

como isso aumenta a complexidade de

Hanna, já que seus atos e expressões

podem ser interpretadas de diversas

formas. Para isso, além do romance em

questão, utilizaremos algumas teorias a

respeito do personagem no romance,

como Candido (2007), Forster (2005), e

Wood (2012).


Palavras-chave


personagem, Hanna, complexidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2018.38352

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Letícia Carvalho de Quadros

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.