Eça de Queirós e o diálogo com Exegetas do Evangelho

Antônio Augusto Nery

Resumo


Durante o período que estudou Direito em Coimbra (1861 a 1866), Eça de Queirós conheceu a maioria dos historiadores, filósofos, e pensadores diversos, com os quais manteve um incessante diálogo ao longo de sua produção literária. Neste trabalho procuramos analisar a incidência das idéias de Ernest Renan (1823-1892), David Strauss (1808-1874), Ludwig Feuerbach (1804-1872) e Jean-Pierre Proudhon (1809-1865), especialmente em uma obra de Eça, A relíquia (1887). Os quatro pensadores foram muito famosos no século XIX por terem averigüado as fontes históricas da vida de Jesus, os primórdios do Cristianismo e proposto novas hipóteses acerca de Cristo e de sua religião. Muitas das cenas e acontecimentos de A relíquia são desenvolvidas a partir dos ideais veiculados por esses pensadores em suas exegeses.


Palavras-chave


Eça de Queirós; Exegeses laicas; intertextualidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Antônio Augusto Nery

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.