Entre a epopeia burguesa e o gênero inacabado: abordagens sobre a teoria do romance em Lukács e Bakhtin

Talita Jordina Rodrigues

Resumo


Este artigo pretende investigar as relações entre teorias do gênero romanesco formuladas por Georg Lukács e Mikhail Bakhtin. A análise trata de cinco questões básicas que estão presentes em obras dos dois autores: as referências hegelianas, a origem do romance, o contexto histórico-filosófico propriamente relacionado ao gênero, as características e possibilidades da narrativa romanesca e o personagem do romance. Sob todos esses aspectos é possível encontrar pontos de encontro do pensamento de Lukács com o de Bakhtin. Os pontos de distanciamento entre eles também aparecem, mas com menor incidência. Estes estão principalmente no aspecto social tratado com mais entusiasmo em determinado momento da obra de Lukács e o aspecto discursivo presente no pensamento de Bakhtin sobre o plurilinguismo.

Palavras-chave


romance, literatura, Lukács, Bakhtin

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2018.35393

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Talita Jordina Rodrigues

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.