Claustrofobia cultural e evocação lírica em Los ríos profundos

Edina Boniatti, Valdeci Batista de Melo Oliveira

Resumo


Neste artigo analisa-se a relação do protagonista Ernesto, da obra Los Ríos Profundos (1993), com o espaço do internato, onde o mesmo se sente constrangido e onde aprendera os ícones da cultura do colonizador: a história, a língua e os valores carreados por elas. Esse espaço claustrofóbico impulsiona Ernesto a reconstruir, comparativamente, por meio da memória, as experiências empíricas da convivência com os indígenas. Assim, o personagem resgata elementos que permitem avaliar criticamente a sociedade peruana, bem como fazer sua opção identitária.


Palavras-chave


Espaço, memória, natureza, opção identitária.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2018.35297

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Edina Boniatti, Valdeci Batista de Melo Oliveira

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.