A enunciação em Um sopro de vida, de Clarice Lispector

Leticia Pilger da Silva

Resumo


Este artigo analisa a subjetividade, a heterogeneidade constitutiva da enunciação e o papel do leitor em Um sopro de vida, de Clarice Lispector, a partir da teoria da enunciação. Como resultado, compreende-se o sujeito como uma posição e propõe-se uma leitura matrioskal, pois o dêitico eu pode ser preenchido pelos personagens, por Clarice e pelo leitor, de modo que há uma heterogeneidade dêitica que culmina em uma equivocidade e abre o texto para a quarta dimensão da leitura e para a obliquação do leitor.


Palavras-chave


sujeito, enunciação, Clarice.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2018.35286

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Leticia Pilger da Silva

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.