CULTURA E IDEOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE TRABALHO DOMÉSTICO E SUA REPRESENTAÇÃO NAS TELENOVELAS BRASILEIRAS

Carla Sellan

Resumo


Este artigo busca evidenciar o nexo existente entre a ideologia racista que permeia a divisão sexual do trabalho nas sociedades coloniais, e sua propagação através da moderna Indústria Cultural. Para tanto, observamos o emprego doméstico, que permanece como uma das principais categorias sócio-ocupacionais femininas do Brasil, e sua representação nas telenovelas veiculadas pela maior emissora nacional. Considerando a América Latina, o Brasil se destaca entre os países detentores dos maiores contingentes de trabalhadoras domésticas. Além disso, o país consolidou-se, ao longo da segunda metade do século XX, como um dos maiores fabricantes de telenovelas do mundo – atrás apenas do México –. A telenovela é o produto mais celebrado da televisão brasileira (e também o mais exportado). Ao tomá-la como objeto de análise, revelamos um sistema simbólico representativo do modo como as elites pensam a categoria das trabalhadoras domésticas, e que contribui ativamente para perpetuação das desigualdades de raça e gênero em nossa sociedade.

Palavras-chave


Raça. Gênero. Trabalho. Cultura. Representação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intratextos.2020.60547

E-mail para contato com os editores: revista.intratextos@gmail.com

PPCIS/UERJ: Rua São Francisco Xavier, 524 - 9º andar - Sala 9037 - Bloco F

CEP: 20550-900 - Maracanã - Rio de Janeiro

Telefone: (21) 2334-0678 / Ramal 27


ISSN 2176-6789

 

Indexações

Revistas Online – UERJ; Revistas brasileiras – SEER; Latindex; Sumários de Revistas Brasileiras; Journals4Free e Periódicos Capes