A construção da representação política na Idade Média

Ana Kelson Batinga de Mendonça

Resumo


O presente artigo aborda a construção da representação política em seu período medieval, compreendendo ser este o momento histórico que permitiu o desenvolvimento de concepções políticas e simbólicas no qual se desenvolveu a capacidade de representar, ao articular a unidade e a diferença em corpos religiosos e políticos. Retoma, em um primeiro momento, a concepção da representação conectada ao componente religioso, com a capacidade da Igreja e do Estado de simbolizar a figura do sagrado e personificar em seu corpo político a sociedade organológica. A segunda parte dedica-se a retomar a construção da representação política medieval conectada à delegação de poder, aproximando-se da esfera da autorização que compôs as duas etapas da representação política. Compreende-se que, durante medieval, houve sobreposições em ambas as esferas da representação, permitindo a formação do consenso e de aclamação intrínseca à manutenção do poder real.

 


Palavras-chave


Representação política; Idade Média; corpo místico

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intratextos.2015.19333

E-mail para contato com os editores: revista.intratextos@gmail.com

PPCIS/UERJ: Rua São Francisco Xavier, 524 - 9º andar - Sala 9037 - Bloco F

CEP: 20550-900 - Maracanã - Rio de Janeiro

Telefone: (21) 2334-0678 / Ramal 27


ISSN 2176-6789

 

Indexações

Revistas Online – UERJ; Revistas brasileiras – SEER; Latindex; Sumários de Revistas Brasileiras; Journals4Free e Periódicos Capes