METROPOLIZAÇÃO DO ESPAÇO, GESTÃO TERRITORIAL E RELAÇÕES URBANO-RURAIS: ALGUMAS INTERAÇÕES POSSÍVEIS

Alvaro Ferreira, João Rua, Regina Célia de Mattos

Resumo


DOI: http://dx.doi.org/10.12957/geouerj.2014.14408

 

O artigo desenvolve a hipótese de acordo com a qual a reprodução do espaço, no mundo contemporâneo, aprofunda a contradição entre o processo de produção social do espaço e sua apropriação privada. A metropolização do espaço, num sentido amplo, contribui para transformar as dinâmicas espaciais urbano-metropolitanas em todas as escalas territoriais. O espaço é um produto social e é produzido com intenções que interferem na vida cotidiana. O planejamento e a gestão territorial num momento de agudização das contradições sociais e de práticas excludentes, em todas as escalas geográficas, são definidos na relação com os direitos coletivos e individuais. Em outras palavras, eles operam na presunção de que, por um lado, existe a lógica territorial dos grupos sociais afetados/dominados pelas geometrias de poder, por outro lado, está a lógica dos que gerenciam os projetos de desenvolvimento. A recente corrida global por terra produziu um dramático implemento dos investimentos na compra de terras no Brasil. A tendência atual acentua os processos em curso de elevação dos preços da terra bem como as consequências desses processos. O trabalho enfoca as interações entre a gestão territorial e as relações urbano-rurais integrados pela metropolização do espaço vista como o processo espacial dominante nos dias atuais.

 


Palavras-chave


metropolização do espaço – gestão territorial – relações urbano-rurais – desenvolvimentos geograficamente desiguais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2014.14408



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons