Casa popular própria: ilusão ou solução?

Bianca Siqueira Gonçalves, Livia Maria de Souza Almeida Coura, José Luis Vianna da Cruz

Resumo


O objetivo deste artigo é trazer elementos para a discussão do principal sonho de consumo da maioria dos brasileiros, a propriedade de um lugar para morar, com as possibilidades de efetivação do direito à cidade. De forma geral, discorre sobre a dinâmica capitalista na construção do espaço na cidade e como se organizam as estruturas urbanas. Especificamente, apura o papel e a importância da casa própria para o trabalhador brasileiro A metodologia utilizada foi uma revisão não sistemática da bibliografia sobre a origem da casa como mercadoria e objeto de desejo do trabalhador e sobre a questão da segregação sócioespacial à luz do Direito à Cidade. Os resultados evidenciaram a complexidade dos interesses em jogo.
Buscou-se compreender o grau de relevância da propriedade da casa para o trabalhador brasileiro. Noutra trilha, foram analisados alguns aspectos importantes da estrutura e dinâmica da cidade, ressaltando o papel do planejamento urbano, e, neste, procurou-se reforçar as potencialidades possibilitando mitigar a segregação socioespacial.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cdf.2019.52523

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons

A revista Cadernos do Desenvolvimento Fluminense está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.