Da sala de aula ao trabalho: as exigências linguísticas das empresas petrolíferas do Norte Fluminense

Edméa Dias, Roberta Alvarenga

Resumo


O presente artigo está inserido na área de Planejamento e Desenvolvimento Regional e pretendeanalisar, em linhas gerais, as exigências linguísticas do mercado de trabalho da indústria petrolíferada Região Norte Fluminense. Na relação escola-empresa, busca-se analisar se as escolas preparamseus alunos para se comunicarem no campo profissional. Com a modernização nas empresas, surgeum novo perfil laboral, que valoriza o trabalhador não apenas sob a ótica da tecnologia, mas tambémquanto à sua competência linguística. Assim, respaldado por conceitos sobre língua e linguagem,à luz de abordagens teóricas essenciais, fundamentado na Lei de Diretrizes e Bases da EducaçãoNacional (ldb) e nos Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (pcn), este texto propõedestacar a comunicação em língua portuguesa e inglesa como um componente essencial do novoperfil de trabalhador exigido pelas empresas do Norte Fluminense e o papel da escola nesse contexto.

Palavras-chave: mercado petrolífero, competências linguísticas, perfil laboral

< doi 10.12957/cdf.2015.26712 >


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cdf.2015.28867

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons

A revista Cadernos do Desenvolvimento Fluminense está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.