A indústria química de álcalis e o “Projeto Cabo Frio”

Walter Luiz Carneiro de Mattos Pereira

Resumo


<doi>10.12957/cdf.2014.11537

Os produtos químicos alcalinos sódicos, notadamente, a barrilha e a soda cáustica, eram imprescindíveis à indústria de transformação. No Brasil, prevaleceu a dificuldade de instalação e de sobrevivência das empresas ligadas ao setor, em especial, na Primeira República, ainda que tivessem algum tipo de apoio ou incentivo do Estado. Os sucessivos fracassos levaram o governo Vargas a intervir no setor, durante o Estado Novo, propondo a criação de uma empresa estatal no país, através da montagem do “Projeto Cabo Frio”, para a construção da Companhia Nacional de Álcalis, em Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro, indústria de base idealizada dentro da política de substituição de importações. Entretanto, os eventos que marcaram esta história mostram claramente as dificuldades de articulação entre o Estado, o capital industrial local e o internacional.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cdf.2014.11537

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



A revista Cadernos do Desenvolvimento Fluminense está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons


A revista Cadernos do Desenvolvimento Fluminense possui indexação nas seguintes bases de dados:

  

  REDIB

   logo ROAD

Portal de Periódicos da CAPES


Sigam-nos nas redes sociais: