A pesquisa no Kitembo - pistas para a construção de uma psicologia aterrada

Abrahão de Oliveira Santos, Viviane Pereira da Silva

Resumo


Este texto apresenta a trajetória de pesquisa do Kitembo - Laboratório de Estudos da Subjetividade e Cultura Afro-brasileira -, um aquilombamento universitário onde buscamos a construção de uma psicologia aterrada, conectada com a nossa realidade e as dificuldades colocadas pelas comunidades indígenas, povos de terreiro, quilombolas, moradores de favela, dentre outros. Assim fazendo, o texto trará pistas para a construção de uma pesquisa aterrada na psicologia. Esta busca se dá a partir de um posicionamento crítico em relação ao campo dito científico, em especial à psicologia, marcados pela branquitude e pela construção de uma perspectiva de verdade que desqualifica os saberes negros, indígenas, favelados, de terreiro, periféricos, dentre outros. Tomamos estes saberes não como objetos de nossas pesquisas, mas como referências na construção de modos de pesquisar, conhecer, experenciar, cuidar, lidar com o sofrimento e lidar com os dramas da existência humana. No trajeto, privilegiamos alguns interlocutores, como Carolina Maria de Jesus, Lima Barreto e Conceição Evaristo, Clóvis Moura, Michel Foucault e Isabelle Stengers, bem como cosmopercepções oriundas dos candomblés de tradição ketu e angola-congo.


Palavras-chave


Pesquisa aterrada; psicologia; povos de terreiro, indígenas; favelados.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/arcosdesign.2018.44056

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários