ROSÁRIO FUSCO EM BUSCA DE MARINA, A INTANGÍVEL: HOMENAGEM ZOMBETEIRA A MURILO RUBIÃO

Marta Dantas Silva

Resumo


Rosário Fusco (1910-1977) e Murilo Rubião (1916-1991), dois escritores mineiros e que foram contemporâneos. Dois escritores muito diferentes: de um lado, a predileção de Rubião pelo conto, a busca para atingir o essencial, a lentidão na abordagem, os rigores de uma ascese em prol de uma linguagem concisa; do outro, a predileção de Fusco pelo romance ficcional, pelo texto verborrágico e excessivo. Também foram homens bem diferentes, mas com muitos pontos em comum nas suas trajetórias de vida. Além disso, andavam na contramão da tendência dominante da produção literária brasileira dos ano 40; as ficções de Fusco e os contos de Rubião são marcados por acontecimentos insólitos garimpados do cotidiano. A homenagem à a Murilo Rubião se faz aqui por meio de Rosário Fusco e ao estilo fusquiano. Intento apresentar como a ficção de Fusco, a.s.a. associação dos solitários anônimos, publicada postumamente em 2003, faz uma séria e zombeteira homenagem ao contista Murilo Rubião.


Palavras-chave


Rosário Fusco; Murilo Rubião; Marina, a intangível; Metaficção

Texto completo:

LEITURA / IMPRESSÃO


DOI: https://doi.org/10.12957/abusoes.2021.50882

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Abusões
e-ISSN: 2525-4022