MARGINAIS DE UM PASSADO FUTURISTA: O NASCIMENTO DO GÊNERO STEAMPUNK NOS EUA E SUA PRIMEIRA RECEPÇÃO NO BRASIL

Enéias Tavares

Resumo


No decorrer da década de 1980, muitos escritores de ficção científica e fantasia reinterpretaram o espírito “punk” da década anterior, enfatizando cenários insólitos, realidades alternativas e fantasias alocadas no passado ou no futuro. Um elemento central a essas histórias era a presença de heróis marginais, páreas sociais e minorias étnicas que pouco espaço ganharam em exemplares do gênero nas décadas anteriores, uma vez que seus respectivos autores ainda preferiam heróis caucasianos idealizados, vítimas femininas em perigo e ameaças malignas, de preferência de origem intergaláctica ou oriental.  Na contracorrente dessa produção, três autores estadunidenses passaram a produzir histórias nas quais a revisão fantástica do passado preconizou problemas sociais e reflexões políticas pertinentes ao seus tempos. Neste ensaio, analisarei três romances considerados fundadores do gênero, bem como seu impacto nos anos seguintes tanto sobre a produção steampunk como também no cenário literário brasileiro.


Palavras-chave


Steampunk; Ficção Científica; Historiografia Literária.

Texto completo:

Leitura / Impressão


DOI: https://doi.org/10.12957/abusoes.2020.46466

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Abusões
e-ISSN: 2525-4022