Corpo, violência e saúde: a produção da vítima

Cynthia Sarti

Resumen


 

Com base em uma pesquisa sobre o atendimento à violência na área da saúde, desenvolvida em um hospital municipal de emergências na cidade de São Paulo, este texto pretende refletir sobre uma “produção da vítima” no atendimento a casos de violência, a partir de considerações sobre a própria construção social da violência como problema de saúde e suas implicações para o desenho de políticas de saúde. O tema da violência nesta área é atravessado pela epidemiologia, que privilegia a incidência do fenômeno. Pretende-se ressaltar que a incidência epidemiológica, que trouxe a violência ao campo da saúde, responde a uma lógica classificatória dos fenômenos do corpo, da saúde e da doença, recortada por uma concepção de gênero que, ao mesmo tempo em que permitiu visibilizar a violência, contribuiu para esconder manifestações que não fossem identificadas com sua lógica de classificação da violência. O reconhecimento de um ato como violento pressupõe atributos previamente identificados na vítima, e a organização do serviço de atendimento segue esta lógica. O artigo busca, então, discutir o que a “produção da vítima” pode dizer de formas contemporâneas de sociabilidade.

 

Palavras-chave: violência; relações de gênero; políticas de saúde; vítima; sociabilidade

 

 

Cuerpo, violencia y salud: la producción de la víctima

 

Basado en una investigación sobre la atención de casos de violencia en el área de la salud, desarrollada en un hospital municipal de emergencias en la ciudad de San Pablo (Brasil), este texto pretende reflexionar acerca de una ";producción de la víctima"; en la atención de dichos casos de violencia, a partir de consideraciones sobre la propia construcción social de la violencia como problema de salud, y sus implicancias en el diseño de políticas de salud. En esa área, el tema de la violencia está atravesado por la epidemiología, que privilegia la incidencia del fenómeno. Se procura destacar que la incidencia epidemiológica, que trajera la violencia hacia el campo de la salud, responde a una lógica clasificatoria de los fenómenos del cuerpo, de la salud y de la enfermedad, recortada por una concepción de género que, a la vez que ha permitido visibilizar la violencia, ha contribuido a esconder manifestaciones que no son identificadas con su lógica de clasificación de la violencia. El reconocimiento de un acto como violento presupone atributos previamente identificados en la víctima, y la organización del servicio de atención sigue esta lógica. Este artículo busca, entonces, discutir lo que la ";producción de la víctima"; puede decirnos acerca de formas contemporáneas de sociabilidad.

 

Palabras clave: violencia; relaciones de género; políticas de salud; víctima; sociabilidad

 

 

Body, violence and health: the production of the victim

 

Based on a research about the health assistance to violence, developed in a public emergency hospital in the city of São Paulo, this text has the purpose of reflecting on a “production of the victim” in the assistance to cases of violence, considering the social construction of violence itself as a health problem and its implications for the design of health policies. The theme of violence, in this field, is crossed by epidemiology, privileging the incidence of the phenomenon. The text intends to highlight that the epidemiological incidence, which brought violence to the health field, responds to a classificatory logic of the phenomena of the body, health and illness, cut across by a gender conception that, at the same time that allowed giving visibility to violence, contributed to conceal manifestations of violence that were not identified with its logic of classification. Thus, the recognition of an act as violent supposes qualities previously identified in the victim and the organization of health assistance follows this logic. The article, then, searches to discuss what the “production of the victim” says about contemporary forms of sociability. 

 

Keywords: violence; gender relations; health policy; victim; sociability


 


Palabras clave


violência; relações de gênero; políticas de saúde; vítima; sociabilidade



Fuentes de indización:

SciELO Brasil - Scientific Electronic Library Online

LATINDEX - Sistema regional de información en línea para revistas científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal

CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades

DOAJ - Directory of Open Access Journals

REDALYC - Red de Revistas Científicas de América Latina y El Caribe, España y Portugal

 

Patrocínios:

UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2009-2020)

FORD FOUNDATION (2009/2010/2011)

IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Brasil (2012)

FAPERJ - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, Brasil (2012/2013/2014)

CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Brasil (2013/2014/2015/2019)

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Brasil (2013/2017/2018)

CEPESC - Centro de Estudos e Pesquisa em Saúde Coletiva (2016)