O ABANDONO DE TERRAS AGRÍCOLAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Mariana Ribeiro Vidal, Raúl Sánchez Vicens

Resumo


O Estado do Rio de Janeiro vem passando por uma transição no uso e cobertura do solo, principalmente no que diz respeito às áreas agrícolas, tiveram redução de aproximadamente 72% de sua área plantada em hectares (IBGE, 2017). Este trabalho tem como objetivo identificar padrões espaciais e temporais das áreas plantadas no Estado, estabelecendo mapas de porcentagem de perdas, taxa de crescimento, taxa de aceleração e centro médio da área plantada, além de caracterizar o atual espaço rural fluminense. Verificou-se que há perda em todo o território do Estado, com predomínio de áreas de baixa densidade. Nesse processo, prevaleceu a baixa redução (-50% <x <-5%), que ocorreu em grande parte de forma acelerada e agora mostra desaceleração. Não houve grandes deslocamentos dos centros médios anuais da área plantada. Dessa forma, verifica-se um abandono de terras agrícolas, que pode dar espaço para um novo modelo de desenvolvimento rural, pautado na pluriatividade.


Texto completo:

30-41


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2020.55757



ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional