REESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE E DESIGUALDADES EDUCACIONAIS EM TEMPOS DE CRISE SANITÁRIA, ECONÔMICA E CIVILIZATÓRIA

Nelson Diniz

Resumo


De todas as medidas adotadas para conter a pandemia de Covid-19 no Brasil, a suspensão das atividades escolares está entre as de maior impacto. Além do potencial de diminuir drasticamente o movimento e a interação nas grandes metrópoles, essa suspensão impõe uma mudança radical nos modos como a vida é conduzida. Foi nesse contexto que se estabeleceu um intenso debate em torno do que fazer nas circunstâncias de interrupção dessas atividades. Neste artigo, defende-se que as análises dessas circunstâncias devem levar em conta, principalmente, as dinâmicas contemporâneas de reestruturação do trabalho docente e os condicionantes do acesso desigual a oportunidades educacionais no país. Sustenta-se, igualmente, que é necessário ter em vista os componentes fundamentais da crise, ou melhor, das crises que estão em curso, no Brasil e no mundo, e que vão muito além da urgente dimensão sanitária.

Palavras-chave


Covid-19; restruturação do trabalho docente; desigualdades educacionais; crise; coronavírus

Texto completo:

138-144


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2020.50253



ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional