ANÁLISE DO MODELO DIGITAL DE ALTURA DERIVADO DE PERFILAMENTO LIDAR EM RELEVO MONTANHOSO

Letícia da Cunha Mose Ferreira, Cristiane Nunes Francisco, Pedro José Farias Fernandes

Resumo


Este artigo tem como objetivo elaborar o Modelo Digital de Altura (MDA), através dos modelos gerados por interpolação dos dados provenientes de perfilamento LIDAR para, assim, verificar o desempenho do MDA na distribuição espacial da altura da vegetação em relação à topografia de uma área com relevo acidentado. A área de estudo está inserida na bacia hidrográfica do Rio Jacaré, Niterói, RJ, e apresenta 163 ha e amplitude altimétrica de 400 m, coberta por fragmentos florestais em diversos estágios de regeneração. O sensor ALS-60, com comprimento de onda do feixe de1.064 nm, obteve cinco pontos por metro quadrado com ângulo de varredura entre 10o e 15o para obtenção dos dados por perfilamento a laser no levantamento de Niterói. Com base neste conjunto de dados, foram gerados os Modelo Digital de Superfície (MDS) e o Modelo Digital de Terreno (MDT), com 50 cm de resolução espacial, através do interpolador Inverso da Distância Ponderada (IDP) e, a seguir, o MDA foi gerado pela diferença entre estes dois modelos. Os resultados obtidos no MDA demonstraram que nas áreas com relevo suave e menor altitude, a altura dos alvos é menor, enquanto que, com o aumento da altitude e declividade, a altura dos alvos aumenta, no entanto na classe de maior altitude e relevo escarpado, a altura da vegetação volta diminuir, demonstrando que o MDA apresentam um padrão de distribuição espacial aliado à topografia. No entanto, a análise de correlação indicou que não há dependência estatística entre eles, o que demonstra o potencial dos dados da tecnologia LIDAR na estimativa das alturas da cobertura da vegetação.


Texto completo:

89-98


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2020.48507



ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional