TÉCNICAS DE PODER, EFEITOS DE VERDADE E MODOS DE SUBJETIVAÇÃO NO ENSINO DA GEOGRAFIA

Bruno Nunes Batista

Resumo


Analiso neste texto o ensino de Geografia através da perspectiva dos estudos foucaultianos, numa tentativa de responder à seguinte pergunta: que produção de subjetividade vem sendo feita por esse discurso? Tomando por base conceitos e reflexões provenientes do Pós-estruturalismo, procuro a) problematizar os enunciados mais presentes na Geografia no que se refere à formação de sujeitos ideais; b) regressar até um arquivo da primeira metade do século XX, com o objetivo de entender de onde vêm essas práticas discursivas; c) descrever as principais teleologias presentes nelas; d) discutir a manutenção dessas palavras-mestras até a contemporaneidade, interligando-as ao que conhecemos por neoliberalismo; e) levantar possíveis implicações desse pensamento nos currículos escolares.


Texto completo:

49-68


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2018.34620



ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional