OS DESAFIOS DAGESTÃO INTERFEDERATIVA FRENTE AOS INDICADORES SOCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE SÃO LUÍS

Yata Anderson Gonzaga Masullo, José Antonio Viana Lopes

Resumo


Atualmente, São Luís e os municípios de Alcântara, Axixá, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Morros, Paço do Lumiar, Presidente Juscelino, Raposa, São José de Ribamar, Rosário e Santa Rita, que compõem a Região Metropolitana da Grande São Luís – RMGSL sofrem os impactos da forte interação e concentração econômica, social e urbana, sem contar com um sistema consistente de planejamento e gestão metropolitana compartilhada que minimize os riscos desta interação e apresente soluções para os problemas vividos pela população. Dessa forma, este artigo analisa e caracteriza a nova configuração da RMGSL, a partir de indicadores sociais (Dinâmica Populacional; Taxa de Urbanização; Déficit Habitacional; IDHM e Taxa de Analfabetismo) refletindo sobre o desenvolvimento e a situação da mesma, com o intuito de compreender a realidade metropolitana em sua totalidade, para além das simples análises operacionais e setoriais. Verificamos que os indicadores sociais apontam a permanência e aumento da concentração de serviços e investimentos na cidade pólo, exigindo a reorientação da dinâmica urbana e institucional para a descentralização dos recursos e políticas públicas locais como forma de evitar a fragmentação do tecido sociopolítico-espacial na metrópole.

Texto completo:

62-83


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2016.19079



ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional