Análise da contribuição das certificações ambientais aos desafios da Agenda 2030

Monica Fischer Nunes Kita

Resumo


O conceito de Desenvolvimento Sustentável vem evoluindo nos debates e conferências da ONU desde a década de 70. Em 2015, o Fórum Político de Alto Nível da organização elaborou a Agenda 2030, um plano de ação com objetivos e metas de sustentabilidade a serem cumpridos pelos países-membros. O setor da Construção Civil, um dos mais importantes da economia do país por sua participação na geração de emprego e no PIB, gera grande impacto ambiental através da extensa extração de recursos naturais e da poluição produzida por suas atividades. Por esses motivos, tem um papel importante no cumprimento dessas metas. Este artigo analisa como as certificações ambientais mais conhecidas no mercado podem contribuir com as metas da Agenda através de suas estratégias de projeto, construção e operação de edificações que ajudam a mitigar os impactos ambientais e a promover o desenvolvimento econômico e social proposto. A partir de revisão da literatura existente, o artigo analisa os desafios da Agenda e os compara às estratégias propostas pelas certificações, concluindo que 16 das 169 metas do documento são influenciados positivamente por elas. E, finalmente, considera que a inclusão do ensino de estratégias de projeto e construções sustentáveis nos cursos técnicos e graduações e a intensificação da legislação podem não só contribuir com as metas existentes, mas também com os desafios que ainda virão. 

 


Palavras-chave


Sustentabilidade. Construções Sustentáveis. Certificações Ambientais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ric.2018.30754

Direitos autorais 2018 Monica Fischer Nunes Kita


 

ISSN: 2316-7041 | Indexada em:

 

Licença Creative Commons

A Revista Internacional de Ciências está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.