Si è aperta una porta con dietro il buio: apontamentos sobre o filme La Rabbia, de Pier Paolo Pasolini

Julia Scamparini

Resumo


RESUMO: Este ensaio sobre o filme La rabbia (1962), de Pasolini, dialoga com um momento histórico de muita produtividade de documentários ensaísticos e de análises e teorias a respeito. O olhar direcionado ao passado procura, então, atualizar-se por meio de escritos contemporâneos, e promove um encontro com o recente gesto de restauração e redescoberta de um filme desejado, mas não finalizado décadas atrás. Todo este contexto de análise e revisitação deixa claro que o filme La rabbia tem a raiva como sua espinha dorsal, antes, durante e depois: o sentimento poético-político da raiva que impulsiona o gesto artístico, como é de costume a Pasolini; a raiva pela matéria-prima, as imagens-inimigas, parte da metodologia de trabalho; e, finalmente, a raiva pela imposição do produtor e pelo embate indesejado com um opositor ideológico, após ter em mãos o filme pronto.

Palavras-chave: Cinema italiano. Filme-ensaio. Documentário. Pier Paolo Pasolini.

 

ABSTRACT: Questo saggio sul film La rabbia (1962), di Pier Paolo Pasolini, dialoga con i tanti documentari saggistici prodotti negli ultimi decenni, comprese le teorie e le analisi su di essi. Lo sguardo rivolto al passato cerca di aggiornarsi attraverso scritti contemporanei, e promuove un incontro con il recente gesto di restauro e riscoperta di un film desiderato, ma non finalizzato decenni fa. Tutto questo contesto di analisi e rivisitazione rende chiaro che il film ha la rabbia come spina dorsale, prima, durante e dopo: il sentimento poetico-politico di rabbia che guida il gesto artistico, come è consuetudine a Pasolini; rabbia per le materie prime, "immagini nemiche", parte della metodologia di lavoro; e infine rabbia per l'imposizione del produttore e lo scontro indesiderato con un avversario ideologico, dopo aver avuto a portata di mano il film pronto.

Parole chiave: Cinema italiano. Documentario saggistico. Pier Paolo Pasolini.

 

ABSTRACT: This essay about La rabbia (1962) a film by Pier Paolo Pasolini, belongs to a historical moment in which the production of essay documentaries is fruitful, as well as theories and analysis about them. This review intends to dialogue with contemporary writings and also with the re-production of La rabbia decades later, a restoration of what Pasolini would have wanted. Our choices have shown a structure in which anger is the vertebral column of the film before, during its creation, and after: the poetic and political feeling that made the film possible; the enemy-images and Pasolini’s hate towards them; and finally a possible feeling of anger after the imposition of the producer of La rabbia, who included another author – an ideological opponent – for the second part of the film.

Keywords: Italian cinema. Essay film. Documentary. Pier Paolo Pasolini.


Palavras-chave


Cinema italiano. Filme-ensaio. Documentário. Pier Paolo Pasolini.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
A Revista Italiano UERJ está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Instituto de Letras


Rua São Francisco Xavier, 524, 11° andar, CEP 20559-900, Maracanã, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
E-mail: revistaitalianouerj@gmail.com