Compostos no italiano sob uma perspectiva lexical

Cynthia Elias de Leles Vilaça

Resumo


RESUMO: O objetivo deste trabalho é fornecer uma descrição dos
compostos em italiano moderno e propor uma análise desses compostos a
partir dos pressupostos teóricos da Morfologia Lexical (KIPARSKY, 1982 e
DE SCIULO & WILLIAMS, 1987). De acordo com Kiparsky, os processos
morfológicos de formação de palavras estariam organizados em uma
hierarquia de níveis dentro do componente lexical. Sob essa perspectiva,
Kiparsky sintetiza e distingue regras lexicais de regras pós-lexicais. Di Sciulo &
Williams trabalham com a noção de atomicidade sintática do objeto morfológico,
segundo a qual os processos de formação de palavras acontecem no léxico,
precedendo os outros componentes da gramática. Apoiando-se na distinção
proposta por Kiparsky e na noção de atomicidade sintática desenvolvida por
Di Sciulo & Williams, Lee (1997) dividiu os compostos do PB —
caracterizados somente como categorias lexicais [+N] — em dois grupos: (1)
compostos lexicais ou “verdadeiros” (sintaticamente opacos, possuidores da
propriedade da atomicidade sintática) e (2) compostos pós-lexicais ou
“pseudo-compostos” (sintaticamente transparentes, desprovidos da
propriedade da atomicidade sintática). Neste trabalho, propõe-se uma
tipologia para os compostos no italiano moderno, os quais (diferentemente do
PB) podem resultar em categorias [+N] ou [+V], a partir de descrições e
prescrições presentes em gramáticas e dicionários dessa língua. A organização
dessa tipologia permitiu que se verificasse a possibilidade de usar para o
italiano a mesma divisão estabelecida por Lee em relação ao PB. No entanto,
permaneceram dúvidas com relação aos compostos que sofrem flexão de
número, uma vez que estes apresentam características seja dos compostos
lexicais, seja dos pós-lexicais.

Palavras-chave: Compostos. Italiano moderno. Processo de formação de
palavras. Morfologia Lexical. Atomicidade sintática.

ABSTRACT: Lo scopo di questo studio è fornire una descrizione dei
composti in italiano moderno e proporre un'analisi di questi composti basata
sulle ipotesi della Morfologia lessicale (KIPARSKY, 1982 e DE SCIULO &
WILLIAMS, 1987). Secondo Kiparsky, i processi morfologici della
formazione delle parole sarebbero organizzati in una gerarchia di livelli
all'interno della componente lessicale. Da questa prospettiva, Kiparsky
sintetizza e distingue le regole lessicali dalle regole post-lessicali. Di Sciulo e
Williams lavorano con la nozione di atomicità sintattica dell'oggetto
morfologico, secondo cui i processi di formazione delle parole avvengono nel
lessico, precedendo le altre componenti della grammatica. Sulla base della
distinzione proposta da Kiparsky e sulla nozione di atomicità sintattica
sviluppata da Di Sciulo e Williams, Lee (1997) ha suddiviso i composti del PB
— caratterizzati solo come categorie lessicali [+ N] — in due gruppi: (1)
composti lessicali o “veri” (sintatticamente opachi, con la proprietà di
atomicità sintattica) (2) composti post-lessicali o "pseudo-composti"
(sintatticamente trasparenti, privi della proprietà di atomicità sintattica). In
questo lavoro viene proposta una tipologia per composti nell'italiano
moderno, i quali (diversamente dal PB) possono risultare nelle categorie [+ N]
o [+ V], considerando le descrizioni e le prescrizioni trovate nelle
grammatiche e nei dizionari di questa lingua. L'organizzazione di questa
tipologia ha permesso di verificare la possibilità di utilizzare la stessa divisione
stabilita da Lee in relazione al PB. Tuttavia, rimanevano dei dubbi riguardo ai
composti che subiscono la flessione numerica, poiché questi hanno delle
caratteristiche sia dei composti lessicali sia dei post-lessicali.

Parole chiave: Composti. Italiano moderno Processo di formazione delle
parole. Morfologia lessicale. Atomicità sintattica.

ABSTRACT: The objective of this study is to provide a description of the
compounds in modern Italian and propose an analysis of these compounds
based on theoretical assumptions of Lexical Morphology (KIPARSKY, 1982
and DE SCIULO & WILLIAMS, 1987). According to Kiparsky, the
morphological processes of word formation would be organized into a
hierarchy of levels within the lexical component. From this perspective,
Kiparsky summarizes and distinguishes lexical rules from post-lexical rules. Di
Sciulo & Williams work with the notion of atomicity syntactic of morphological
object, according to which the word formation processes take place in the
lexicon, preceding the other components of grammar. Relying on the
distinction proposed by Kiparsky and on the notion of syntactic atomicity
developed by Di Sciulo & Williams, Lee (1997) divided the compounds of the
PB — characterized only as lexical categories [+N] — into two groups: (1)
lexical compounds or “true compounds” (syntactically opaque, possessors of
property of syntactic atomicity) and (2) post-lexical compounds or “pseudocompounds” (syntactically transparent, devoid of syntactic property of
atomicity). In this paper, we proposed a typology for compounds in modern
Italian, which (unlike PB) may result in categories [+ N] or [+ V], from
descriptions and these provisions in grammars and dictionaries of that
language. The organization of this typology allowed us to verify the possibility
of using for the Italian the same division established by Lee regarding the PB.
However, questions remain regarding the compounds that undergo number
flexion, since these present characteristics of the lexical compounds and postlexical.

Keywords: Compounds. Modern Italian. Processes of word formation.
Lexical Morphology. Atomicity syntactic.


Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
A Revista Italiano UERJ está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Instituto de Letras


Rua São Francisco Xavier, 524, 11° andar, CEP 20559-900, Maracanã, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
E-mail: revistaitalianouerj@gmail.com