Os empreiteiros de obras públicas e as políticas da ditadura para os trabalhadores da construção civil

Pedro Herique Pedreira Campos

Resumo


O presente artigo pretende analisar as políticas estatais da ditadura civil-militar brasileira (1964-1988) para os trabalhadores da construção civil, tendo em vista os interesses e o favorecimento dos empresários do setor, em particular os empreiteiros de obras públicas. Partindo de um aparato teórico-conceitual advindo do materialismo histórico, abordamos em linhas gerais as condições de trabalho proporcionadas nos canteiros de obras para os operários do setor, suas formas de organização e as limitações impostas à sindicalização e mobilização durante o período da ditadura. Abordamos também as condições de segurança e saúde do trabalhador, os acidentes ocorridos nas obras e as formas de atuação desses trabalhadores em greves, revoltas e quebra-quebras, em particular no período final do regime. Nossas conclusões indicam que as políticas para os trabalhadores em geral e da construção civil em particular ao longo do regime eram intensamente benéficas para os empresários do setor.

 

Palavras-chave: empreiteiros de Obras Públicas; empresários; ditadura civil-militar brasileira (1964-1988); Estado brasileiro; políticas públicas.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/rep.2014.13025

 

 

                                              

ISSN: 1414-8609 | e-ISSN: 2238-3786 JournalDOI: http://doi.org/10.12957/rep

Licença Creative Commons