Hipótese dos mercados adaptativos: uma análise da eficiência de títulos do mercado acionário brasileiro

Lara Ferreira de Almeida Gomes, Paulo Vitor Souza de Souza, César Augusto Tibúrcio Silva

Resumo


Este estudo objetivou verificar se os títulos negociados no mercado acionário brasileiro apresentam comportamento compatíveis com a Hipótese dos Mercados Adaptativos de Lo (2004). Portanto, foram estimados os níveis de eficiência dos 11 títulos de maior liquidez pertencentes ao Ibovespa da B3. A eficiência foi estimada por meio do uso do Expoente de Hurst, com uso de dados diários pertencentes aos títulos das empresas entre o período de 1995 a 2018, compreendendo um recorte temporal de 23 anos. Por meio dos resultados do Hurst, foram feitas análises das estatísticas descritivas, correlação entre eficiência e risco, análise da eficiência sob a ótica da variação do mercado e o estudo dos níveis de eficiência por mandatos presidenciais. Os achados deste estudo fornecem evidências de que o mercado brasileiro apresenta comportamento dinâmico, pois os níveis de eficiência dos títulos variam de acordo com o risco. As ações são influenciadas pelas variações do mercado de formas e intensidades distintas. Em relação aos títulos das empresas sob influência governamental, nota-se que crises políticas influenciam nos níveis de previsibilidade das ações. Estes comportamentos observados estão de acordo com a Hipótese dos Mercados Adaptativos, pois a eficiência apresentada não é uma condição de “tudo ou nada”, pois a previsibilidade do retorno das ações denota uma adaptabilidade individual, de acordo com o ambiente e situação que divergem no mercado e entre as empresas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12979/rcmccuerj.v24i3.52255



ISSN da versão on-line (atual): 1984-3291
Periodicidade: Quadrimestral
Classificação CAPES: A3

DOAJ