Fatores determinantes da intangibilidade em companhias abertas familiares

Antonio Rodrigues Albuquerque Filho, Francisca Francivânia Rodrigues Ribeiro Macedo, Geovanne Dias de Moura, Denise Rose Bracht Fank, Eder Luis Heberle

Resumo


O objetivo do estudo consistiu em analisar os fatores determinantes da intangibilidade em companhias abertas familiares listadas na BM&FBovespa. Realizou-se pesquisa descritiva, conduzida por meio de análise documental e abordagem quantitativa dos dados, que referem-se ao período de 2010 a 2015, de uma amostra composta por 154 companhias familiares. Os resultados demonstraram que as empresas do setor de telecomunicações foram as que apresentaram o maior índice médio de intangíveis no ano de 2010 a 2013, enquanto as companhias do setor de bens industriais se destacaram nos anos de 2014 e 2015. Observou-se ainda que dentre os fatores governança, competitividade, tamanho e crescimento, descritos na literatura como influenciadores do nível de intangibilidade das empresas, somente a governança e o tamanho influenciaram positivamente o nível de intangibilidade das mesmas, enquanto a competitividade e o crescimento não. Ao final, concluiu-se que quanto melhor forem as práticas de governança e maior o tamanho das empresas, consequentemente, maior é o nível de intangibilidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12979/rcmccuerj.v23i2.39912



ISSN da versão on-line (atual): 1984-3291
Periodicidade: Quadrimestral
Classificação CAPES: A3

DOAJ