OS NÍVEIS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA ENQUANTO FATORES REDUTORES DE RISCO NA CRISE FINANCEIRA DE 2008

Robert Armando Espejo, Ademir Clemente

Resumo


Em termos de crise econômica mundial, a presente investigação tem como objetivo verificar se os Níveis Diferenciados de Governança Corporativa (NDGC) constituíram fatores de diferenciação do risco das ações das empresas negociadas na Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo - BM&FBOVESPA, durante a Crise Financeira de 2008. Metodologicamente, foi realizado um estudo estatístico, transversal. As cotações das ações das empresas segundo os NDGC (Nível 1, Nível 2 e Novo Mercado) e Sem Governança foram obtidas para o período imediatamente anterior à Crise Financeira (30/06 a 02/09 de 2008) e para o período da crise (03/09/2008 a 05/11 de 2008), por meio do banco de dados Economática. Contrariando as expectativas iniciais, observou-se que as ações das empresas sem governança não apresentaram queda, enquanto as pertencentes aos NDGC apresentaram. A análise por meio do mapa percentual Box Plot e a análise do desvio-padrão mostram, também, que o risco das ações, representado pela sua volatilidade, foi maior para as empresas pertencentes aos NDGC.

Palavras-chave


Contabilidade; Contabilidade Financeira; Contabilidade Social

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12979/18258



ISSN da versão on-line (atual): 1984-3291
Periodicidade: Quadrimestral
Classificação CAPES: A3

DOAJ