ORÇAMENTO COMO MEIO DE CONTROLE DA DISSOCIAÇÃO EM HOSPITAL PÚBLICO

Leandro Augusto Toigo, Márcio Roberto Piccoli, Carlos Eduardo Facin Lavarda

Resumo


O estudo objetivou identificar a percepção dos gestores sobre o orçamento público como forma de controle da dissociação em um ambiente hospitalar de grande porte. A presente pesquisa identificar a partir dos envolvidos na elaboração e execução do orçamento, algumas dissociações quanto à participação, autonomia orçamentária e defesa de seus departamentos entre médicos e gestores hospitalares, embasados no estudo de Covaleski e Dirsmith (1983). A pesquisa é caracterizada como descritiva, com abordagem qualitativa concretizada por meio de estudo de caso que buscou a partir de um roteiro de entrevistas semiestruturada observar a dissociação e se o orçamento consegue controlá-la. Como resultado observou-se a existência da dissociação, pois os médicos buscam mais recursos do orçamento para a realização de suas atividades e os diretores disponibilizam os recursos dentro dos parâmetros estabelecidos pelo orçamento público. Como conclusão e contribuição o estudo verifica-se que a dissociação existe e o orçamento público contribui para sua redução.

Palavras-chave


Orçamento público; Controle financeiro; Dissociação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12979/16802



ISSN da versão on-line (atual): 1984-3291
Periodicidade: Quadrimestral
Classificação CAPES: A3

DOAJ