Redes, agentes e negócios: aspectos da escravidão no interior do sudeste brasileiro durante a segunda metade do século XIX

Caio da Silva Batista, Dayana de Oliveira Silva

Resumo


O presente artigo busca acompanhar parte da trajetória de vida do casal José Venâncio de Carvalho e sua esposa dona Delfina Theodora de São José, quando residiam na cidade de Juiz de Fora, localizada na Zona da Mata de Minas Gerais durante a segunda metade do século XIX. Para alcançar esse objetivo, iremos analisar processos criminais, registro de compra e venda de escravo e carta de alforria envolvendo esses indivíduos. Essa documentação irá permitir compreender alguns aspectos da escravidão no Brasil oitocentista, como, por exemplo, a precarização da liberdade, o mercado interno de escravizados desenvolvido durante a segunda metade do século XIX e as relações sociais entre livres e escravos.  Com isso, este estudo busca contribuir com o debate historiográfico a respeito das sociedades escravistas desenvolvidas no Brasil durante o século XIX, sobretudo na região Sudeste.


Palavras-chave


escravidão; século XIX; sociabilidade; trajetória

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Rômulo Garcia de. Limites impostos à comunidade escrava e seus vínculos de parentesco: Zona da Mata de Minas Gerais, século XIX. Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1995.

BLANCO, Laura Stella Passador de Luiz. Crimes praticados por escravos na Manaus oitocentista. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2020.

BRASIL. Código criminal do Império do Brasil de 1830. Artigo 179. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2021.

_______. Lei número 2.040, de 28 de setembro de 1871. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2021.

CAMPOS, Adriana Pereira. Nas barras dos tribunais. Direito e escravidão no Espírito Santo do século XIX. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003.

CARDOSO, Ciro Flamarion Santana. A Afro-América: a escravidão no Novo Mundo. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1982.

CHALHOUB, Sidney. Costumes senhoriais: escravização ilegal e precarização da liberdade no Brasil Império. In: AZEVEDO, Elciene; CANO, Jeferson; CUNHA, Maria Clemente Pereira; CHALHOUB, Sidney (Orgs.). Trabalhadores na cidade: cotidiano e cultura no Rio de Janeiro e em São Paulo, século XIX e XX. Campinas: Ed. UNICAMP, 2009.

___________. Visões da liberdade: uma história das últimas décadas da escravidão na Corte. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

___________. A força da escravidão: ilegalidade e costumes no Brasil oitocentista. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

CONRAD, Robert. Os últimos anos da escravatura no Brasil: 1850-1888. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

FLAUSINO, Camila Carolina. Negócios da escravidão: tráfico interno de escravos em Mariana, 1850 – 1886. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2005.

FRAGOSO, João Luís Ribeiro. Homens de Grossa Aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro (1790-1830). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

FONSECA, Marcus Vinícius. A Educação dos negros: uma nova face do processo de abolição da escravidão no Brasil. Bragança Paulista: EDUSF, 2002.

GONÇALVES, Andréia Lisly. As margens da liberdade: estudo sobre a prática de alforrias em Minas colonial e provincial. Belo Horizonte: Fino Traço, 2011.

GRAHAM, Sandra Lauderdale. Caetana diz não. Histórias de mulheres da sociedade escravista brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

GRIMBERG, Keilla. Reescravização, direitos e justiças no Brasil do século XIX. In: LARA, Silvia Hunold; MEDONÇA, Joseli Maria Nunes (Orgs). Direitos e justiças no Brasil: ensaios de História social. Campinas: Ed. UNICAMP, 2006.

GUIMARÃES, Elione Silva. Aspectos cotidianos da escravidão em Juiz de Fora. In:

GUIMARÃES, Elione Silva; GUIMARÃES, Valéria Alves (Orgs.). Aspectos cotidianos da escravidão em Juiz de Fora. Juiz de Fora: Funalfa, 2001.

____________. Múltiplos viveres de afrodescendentes na escravidão e no pós-emancipação: família, trabalho, terra e conflito (Juiz de Fora – MG, 1828 – 1928). São Paulo: Annablume, 2006.

____________. Economia autônoma dos escravos nas grandes fazendas cafeeiras do Sudeste do Brasil (Zona da Mata Mineira – Século XIX). Revista América Latina en la Historia Económica, n. 32, jul./dez. 2009.

LEITE, Maria Jorge dos Santos. Tráfico Atlântico, escravidão e resistência no Brasil. Sankofa. Revista de História da África e de estudos da Diáspora Africana, a. X, n. XIX, ago. 2017.

MACHADO, Cacilda. As muitas faces do compadrio de escravos: o caso da Freguesia de São José dos Pinhais (PR), na passagem do século XVIII para o XIX. Revista Brasileira de História, v. 26, p. 49-78, 2006.

MACHADO, Cacilda. Tráfico interno de escravos na região de Juiz de Fora na segunda metade do século XIX. Anais do III Congresso Brasileiro de História Econômica e 4ª Conferencia Internacional de História de Empresas, ABPHE – Associação Brasileira de Pesquisadores em História Econômica, 1999.

MIRANDA, Sonia Regina (Coord.) Entre o Rio e Colônia Tudo Começa. Cadernos para o professor, Juiz de Fora, v. 1, n. 2, 1993.

OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de. A terra e seus homens: roceiros livres de cor e senhores no longo século XVIII. Rio de Janeiro: Ed. 7 Letras, 2016.

PINTO, Maria Edineuda Teixeira. Estudo das unidades fraseológicas em escrituras públicas de compra e venda de escravos do século XIX no Ceará. Dissertação (Mestrado acadêmico) –Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2015.

PIRES, Anderson José. Capital agrário, investimentos e crise na cafeicultura de Juiz de Fora, 1870 – 1930. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 1993.

RAMOS, Amanda Ciarlo. Anatomia do crime: o perfil dos delitos cometidos por cativos no contexto de intensificação do tráfico interno (Pelotas, 1850-1884). Aedos, Porto Alegre, v. 9, n. 20, p. 138-163, ago. 2017.

SCHEFFER, Rafael Cunha. Comércio de cativos através das fontes cartoriais: possibilidades e seus limites. XXVII Simpósio Nacional de História – ANPUH, Natal, 2013.

SLENES, Robert. The Brazilian Internal Slave Trade, 1850-1888: Regional Economics, Slave Experience, and the Politics of a Peculiar Market. The Chattel Principle: Internal slave Trade in the Americas. New Haven: Yale University Press, 2004.

SLENES, Robert W. Senhores e subalternos no Oeste Paulista. In: ALENCASTRO, Luiz Felipe de (Org.) História da vida privada no Brasil. Império: a corte e a modernidade nacional. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2022.64447

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos