Corpos pós-coloniais e desterritorialização: gestos e movimentos afetivos em Bom trabalho (Claire Denis, 1999)

Mariana Cunha, Catarina Andrade

Resumo


O artigo propõe uma análise do filme Bom trabalho, de Claire Denis, cuja narrativa se concentra nas memórias do sargento Galoup, expulso da Legião Francesa em Djibouti. Ao passo que retrata a ocupação colonial, o filme revela a sensorialidade dos corpos dos soldados da Legião através de imagens ritualísticas desses corpos nos espaços e na paisagem desértica de Djibouti. Trata-se de pensar a forma como o filme compõe os espaços e os corpos a partir da noção de desterritorialização em uma ampla acepção (ou seja, no sentido de deslocamento físico, mas também no sentido trazido por Gilles Deleuze (1983) em relação à imagem-percepção e à imagem-afecção). Busca-se, portanto, estabelecer uma relação entre paisagens e corpos num sentido material e sensorial (Marks, 2000), paralelamente a uma análise das identidades pós-coloniais deslocadas e em decadência.


Palavras-chave


Claire Denis; corpos pós-colonais; gestos; desterritorialização

Texto completo:

PDF

Referências


ALSOP, Elizabeth. “‘The Mercurial Quality of Being’: Sudden Moves in Beau Travail and Billy Budd”. Adaptation, V. 7, N. 1, 2014, pp. 14-24.

DELEUZE, Gilles. Cinema 1: A imagem-movimento. São Paulo: Brasiliense, 1983.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O anti-Édipo. São Paulo: Editora 34, 2009.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia. São Paulo: Editora 34, 2009.

DOOLEY, Kath. “Foreign Bodies, Community and Trauma in the Films of Claire Denis: Beau Travail (1999), 35 Rhums (2008) and White Material (2009)”. Screening the past. 2013. Disponível em: http://www.screeningthepast.com/2013/09/foreign-bodies-community-and-trauma-in-the-films-of-claire-denis/. Acesso em: 03 Jul. 2020.

HAYWARD, Susan. “Claire Denis’ Films and the Postcolonial Body – With Special Reference to Beau Travail (1999)”. Studies in French Cinema, V. 1, N. 3, pp. 159–165, 2001.

LEFEBVRE, Martin (Org.). Landscape and Cinema. Nova York e Londres: Routledge, 2006.

LOPES, Denilson. “Entre o mar e o deserto: o olhar intruso”. Devires, V. 4, N. 1, pp. 122-135, 2007.

LOPES, Denilson. No coração do mundo. Rio de Janeiro: Ed: Rocco, 2012.

LORIMIER, Julie. De la danse comme révélateur: Denis Lavant dans Beau travail. 24 Images,

n.167, p.30-31, 2014. Disponível em: . Acesso em: 05

Jul. 2016.

MAULE, Rosanna. “A dialética da identidade transnacional e o desejo feminino em quatro filmes de Claire Denis”. In: FRANÇA, Andréa; LOPES, Denilson (Orgs.). Cinema, globalização e interculturalidade. Chapecó: Argos, 2010.

MAYNE, Judith. Contemporary film directors – Claire Denis. Urbana e Chicago: University of Illinois Press, 2005.

MCCLINTOCK, Anne. Imperial Leather. Nova York: Routledge, 1995.

MCMAHON, Laura. “Beyond the Human Body: Claire Denis’s Ecologies”. Alphaville: Journal of Film and Screen Media, V. 7, 2014, pp. 1-18.

MULVEY, Laura. “Prazer visual e cinema narrativo”. In: XAVIER, Ismail (Org.) A experiência do cinema: Antologia. São Paulo: Graal, 1983, pp. 437-453.

NAFICY, Hamid. An Accented Cinema: Exilic and Diasporic Filmmaking. Nova Jersey: Princeton University Press, 2001.

NANCY, Jean-Luc. “Uncanny Landscape”. In: NANCY, Jean-Luc. The Ground of the Image. Nova York: Fordham University Press, 2005, pp. 51-62.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2020.52468

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos