Os impasses e os avanços do neopentecostalismo na juventude de São Gonçalo

Alline Assis Xavier Maia

Resumo


O presente trabalho tem por propósito analisar como o trânsito religioso tem ocorrido entre os jovens evangélicos de São Gonçalo. Nos últimos anos assistimos o aumento do neopentecostalismo dentro da sociedade brasileira, nos mais variados setores, com ênfase para o campo político. Considerando a visibilidade que os evangélicos ganharam, que a compreensão dos mesmos se faz necessária, uma vez que pode nos ajudar a entender quais os anseios e preocupações da juventude na atualidade e em que medida as escolhas religiosas influenciam outros setores da vida dos mesmos. Para tanto, utilizo como aporte teórico as definições de Hervieu-Léger sobre religiosidades herdadas, self e modernidade, assim como as definições de Mariano e Oro sobre neopentecostalismo. Ressalto que a etnografia foi escolhida como metodologia, sendo aplicado o trabalho de observação de campo e entrevistas com jovens moradores de uma favela de São Gonçalo, durante um evento conhecido como “louvorzão”, objetivando traçar um panorama dos impasses e dos avanços do neopentecostalismo para o grupo em questão.

Palavras-chave: juventude, neopentecostalismo, trânsito religioso

 


Palavras-chave


História; Educação; Ensino; Diferenças; Desigualdades; África

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Ronaldo. A Igreja Universal e seus demônios. São Paulo: Terceiro Nome fapesp, 2009.

ARAÚJO, Odair José Torres. Secularização e efervescência religiosa: contrastes da modernidade.XI Congresso Brasileiro de Sociologia, Unicamp, Campinas, São Paulo, 2003.

BOURDIEU, Pierre. Poder simbólico. 7 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

CSORDAS, Thomas. A corporeidade como um paradigma para a antropologia. Corpo, significado, cura.

DIP, Andreia. Em nome de quem? A bancada evangélica e seu projeto de poder. Rio Janeiro: Civilização Brasileira, 2018

FRESTON, Paul. . Uma breve história do pentecostalismo brasileiro: a Assembleia de Deus. Religião e Sociedade, v.16, nº 3, 1994.

HERVIEU-LÉGER, Daniéle. O peregrino e o convertido. A religião em movimento. Rio de Janeiro, Vozes, 2012.

MAFRA, Clara. Os evangélicos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

MARIANO, Ricardo. Neopentecostais: sociologia do nove pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

MARIZ, Cecília Loreto. MACHADO, Maria das Dores. Mudanças recentes no campo religioso brasileiro. Antropolítica, Niterói, 1998.

NEGRÃO, Lísias Nogueira. Nem “ jardim encantado” nem “ clube dos intelectuais”. RBCS Vol. 20 n. 59 outubro de 2005

ORO, Ari Pedro. Neopentecostalismo: dinheiro e magia. Rio Grande do Sul, Programa de Pós- graduação, ILHA

VITAL DA CUNHA, Christina. Oração de Traficante: uma etnografia. Ed: Rio de Janeiro: Garamond, 2015.

NERI, Marcelo Côrtes (Coord.). Novo Mapa das Religiões. Rio de Janeiro: CPS/FGV, 2011. Disponível em: . Acesso em: 01. Nov. 2015




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2020.47890

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

ISSN:2179-7528